Missionário urbano testemunha seu crescimento ministerial na Paraíba

Missionário urbano testemunha seu crescimento ministerial na Paraíba

Atualizado: Quarta-feira, 22 Dezembro de 2010 as 11:55

“Faço parte da Cidade Viva desde 2006, quando criamos o Ministério Anjos da Noite, cujo  objetivo é buscar desenvolver a missão integral da igreja através da evangelização e da responsabilidade social com os excluídos  pela sociedade, na ânsia de reconciliar a criação com o criador. Nosso público alvo  são Pobres, mendigos, menores abandonados, desempregados, homossexuais, prostitutas e outros, que vivem nas ruas. Atuamos por meio de ronda social pelas ruas da grande João Pessoa nas madrugadas. Somos 30 jovens envolvidos nestes ministério, que além do trabalho das ruas, fazemos o discipulado com os moradores convertidos e evangelização nas favelas.

Há quatro anos, um grupo de jovens, que pertenciam a uma conexão (grupo pequeno) da Igreja Cidade Viva dirigida pelo Pr. Sergio Queiroz, entendeu que deveriam agir para mudar a realidade social nas ruas de João Pessoa com o Evangelho Integral pregado por Jesus. Alguns não tinham experiência, um já tinha participado em outra denominação cristã e outro lendo o livro O Futuro da Humanidade de Augusto Cury, que expressava o valor do povo morador de ruas, sua riqueza intelectual e o preconceito que enfrentavam. Todos se reuniram num propósito, resgatar vidas para o Senhor Jesus onde ninguém gostaria de ir.

Em 2006, a igreja estava engatinhando na área social, a fundação ainda não existia oficialmente, o nosso ministério foi  o braço social da Cidade Viva nas ruas de João Pessoa.

Me lembro como hoje, as ruas do centro a noite e nas madrugadas abrigavam grande contigente de crianças, adultos e mulheres dormindo nas calçadas, rodoviária, marquises, bancos de praça ou apenas perambulando pelas ruas. Pessoas tristes, famintas e sem esperança. Ao chegarmos ficavam temerosas, pois não era normal um grupo de pessoas lhes acordando, cantando, falando de esperança, servindo alimentos, cortando cabelos, medicando-as e orando neste horário, marcado pela violência e falta de segurança.

Os primeiros encontros foram marcantes, vimos à realidade das ruas, pessoas inteligentes, bonitas, conhecedoras da Palavra de Deus. Contudo abandonadas, dependentes de álcool e outras drogas, sem trabalho, vendendo o corpo e com conflitos familiares. Um fato marcante, foi a visita aos catadores que viviam ao lado do viaduto, presenciamos a convivência do lixo, animais e crianças. Contudo, a dignidade deles e sua forma de organização e valores nos sensibilizaram.

Uma coisa nunca negligenciamos, que é a chave da nossa vitória,  a preparação para irmos as ruas,  é um momento importante onde oramos à Deus pedindo proteção, quebrantamento dos corações endurecidos, discenirmento e sabedoria. Mas também agradecemos com louvor pelas nossas vidas, igreja, familia e sempre refletimos sobre sua Palavra, sua porção dada para cada saída (ronda social). A ênfase nesta preparação, se justifica porque chegamos a igreja cansados pela fadiga do dia, desanimados, problemas a resolver, por isso precisamos trazer mentes e corações ao senhorio de Jesus Cristo, nos fazendo entrar em sintonia com as coisas espirituais, a fim de participarmos da batalha espiritual nas ruas, revestidos pelo poder do Espírito Santo para libertar cativos das obras opressoras e destruidoras do mal.

Hoje a realidade mudou um pouco,  o poder público retirou os menores das ruas, criaram uma casa de acolhida para moradores de ruas e outros grupos cristãos surgiram. A violência também tem afugentado muitos moradores das ruas. Mesmo assim, vemos uma carência deste povo, a ser suprido por este ministério, pois temos um legado, uma missão a qual Deus nos capacitou, como ministrar a Palavra de Deus, restaurar a esperança e buscar a transformação definitiva destas vidas.

Uma história que nos impressionou, foi de uma prostituta que desejava deixar a vida de prostituição, pois o fazia para sustentar seus filhos. Seu marido estava preso. Começamos a trabalhar com ela e sua família, os retiramos da rua e a fundação por meio da assesoria jurídica libertou o marido, dando-lhe trabalho e uma casa, mais uma família restaurada.

Temos orado para Deus nos revelar sua vontade para este novo momento. Desafios são oportunidades para crescer na obra  e expandir o reino de Deus. Estamos buscando parcerias, a fim de dinamizar as ações de evangelizações e assistência social com moradores de ruas, favelados e prostitutas.

Nossos projetos a desenvolver:

CASA VIVA – casa abrigo e centro de treinamento, reabilitação e reinserção social para prostitutas; CASA DE ACOLHIDA – espaço de fé, acolhida, cidadania e reinserção social para moradores de ruas situado no centro de João Pessoa; CENTRO DE REABILITAÇÃO E REINSERÇÃO SOCIAL – centro de capacitação profissional, reabilitação e reinserção social  em área rural da Fundação Cidade Viva para moradores de rua; Temos parceria com a Casa de Dependentes Químicos pertencente a fundação, que atende os moradores de ruas com problemas de drogas que encaminhamos.

Neste tempo, já foram atendidas mais de 1.000 pessoas nas ruas da grande João Pessoa!”

* Este testemunho foi escrito por Joaldi A. Silva , que é líder do Ministério Anjos da Noite e Conexão, da Cidade Viva.

veja também