Missionários ajudam a resgatar mais de 200 prostitutas da escravidão sexual, na Tailândia

Os missionários passaram horas em bares, tentando convencer as mulheres a abandonar a prostituição.

fonte: Guiame, com informações do Gaceta Cristiana

Atualizado: Sexta-feira, 22 Dezembro de 2017 as 11:38

Elas vêm de áreas rurais na Tailândia em busca de uma fonte legítima de trabalho. Foto: Reprodução).
Elas vêm de áreas rurais na Tailândia em busca de uma fonte legítima de trabalho. Foto: Reprodução).

Uma organização cristã na Virgínia interveio na vida de mais de 244 mulheres e meninas, prisioneiras da indústria do sexo na Tailândia e ajudou oferecendo a oportunidade de mudar suas vidas e encontrar seu verdadeiro valor em Cristo. Nas duas últimas semanas, a World Help e seus ajudantes de Banguecoque e Pattaya realizaram três ações separadas.

Por meio dessa iniciativa, mulheres e meninas que se prostituem em bares da cidade para sustentar suas famílias, tiveram a oportunidade de deixar a indústria do sexo e criar um futuro real para elas através da educação. No total, 244 mulheres participaram da "Noite da Liberdade".

Isso foi possível graças ao fato de missionários locais e colaboradores da World Help que passaram inúmeras horas em bares, tentando construir um relacionamento pessoal com as mulheres e convencê-los a escapar da "escravidão sexual".

"As meninas entram neste trabalho porque são realmente muito pobres", disse Noel Yeatts, vice-presidente da World Help, acrescentando que na Tailândia é cultural que a filha tenha a responsabilidade de sustentar sua família.

"Elas vêm de áreas rurais na Tailândia em busca de uma fonte legítima de trabalho para enviar dinheiro para a família. Às vezes são muito jovens quando saem de suas casas. Então elas chegam na cidade e não têm educação, nenhum treinamento e não têm outra alternativa senão aceitar esses "empregos", onde pelo menos têm um lugar para dormir e comer", complementou.

De acordo com Noel, esta é a primeira vez que os fundos são destinados a "Noite da Liberdade". Cerca de 26 mil dólares foram arrecadados de 38 países como uma doação para este evento.

Uma das dificuldades financeiras que o evento apresentou, de acordo com Noel, era cobrir os "custos dos bares", uma espécie de multa que as meninas tinham que pagar para poder deixar a noite. "Nossos contatos locais tiveram que pagar por cada garota, para poder tirá-las daquele ambiente por uma noite. Ela são levadas para um quarto de hotel ou casa e recebem alguns presentes. Então, chega um evangelista tailandês para compartilhar a mensagem do Evangelho".

Todas as meninas receberam uma Bíblia e foram oferecidas a possibilidade de deixar a indústria do sexo e se mudar para um abrigo. Além disso, aquelas que eram de idade escolar receberam a chance de matricular-se na escola. "Eu tive a oportunidade de compartilhar com um dos grupos e ouvi-los sobre suas histórias e origens", disse Noel.

"Uma queria ser um engenheira, outra queria ir à escola de culinária. Pela primeira vez em suas vidas, elas têm a possibilidade de escolher e a esperança de que seus sonhos se tornem realidade", ressaltou.

veja também