Monte das Oliveiras de Irajá atrai discípulos

Monte das Oliveiras de Irajá atrai discípulos

Atualizado: Quarta-feira, 1 Setembro de 2010 as 9:13

De mãos dadas, homens e mulheres rezam com fervor enquanto o pastor, de braços erguidos, rege o grupo citando a Palavra, como se os guiasse no meio de um transe. A cena seria de simples culto em templo evangélico não fosse o lugar atípico onde se desenrola: o topo da Escada de Jacó, colina encravada num terreno do Exército em Irajá, subúrbio do Rio.

O mais novo ponto de louvor ao ar livre é cópia moderna do Monte das Oliveiras, cenário bíblico onde Cristo pregou aos discípulos. A peregrinação de evangélicos ao monte, escondido entre as avenidas Monsenhor Félix e Pastor Martin Luther King Jr., começou em maio. Até um ano atrás, em vez dos fiéis, traficantes da vizinha favela Rio D’Ouro frequentavam o local.

Eles sacrificavam suas vítimas incinerando os corpos num forno improvisado, o ‘micro-ondas’. Com a morte dos principais chefes da quadrilha, os bandidos deixaram a comunidade. “Vi um homem ser queimado vivo aqui há 6 anos”, recorda Marcelo Flores, 44. Presbítero de uma Assembleia de Deus na favela, onde mora há 20 anos, sempre desejou “tirar a maldição daquele lugar cheio de árvores e tristeza”. Seis meses atrás, um sonho mostrou o caminho, assim como a Jacó. “Deus disse que eu deveria plantar aqui a semente e virar seu guardião”, afirma ele, que garante ter jejuado por 21 dias antes de pegar na enxada, com três irmãos, para retirar o matagal pela raiz, como se arrancassem o mal da terra. Rochas e árvores ganharam o branco da cal, em alusão à pacificação. E trechos da Bíblia cobriram as pedras. O Comando Militar do Leste (CML) deu autorização para cuidarem da colina.

Não há hora marcada para orar diante da paisagem que inclui estação do metrô e o violento Morro do Juramento. De segunda a segunda chegam fiéis, que mesmo à noite sobem o monte, com lanternas, pois a única iluminação é um refletor no campo de futebol da comunidade. “Sexta à noite chega a ter 60 fiéis aqui”, comemora o pastor João Batista Barroso, 52. “Já veio gente de Niterói, Barra e até Zona Sul conhecer e orar. As Kombis das igrejas trazendo os irmãos fazem fila lá embaixo”, conta o guardião Marcelo.

Ele afirma não pedir doações, mas aceita ofertas para manutenção do ‘templo’, como latas de cal e ferramentas. Limpeza e retirada de oferendas a orixás Na limpeza da Escada de Jacó, o grupo de fiéis liderado por Marcelo recolheu potes com alimentos apodrecidos — o local era frequentado por espíritas que deixavam oferendas aos orixás. Mas um achado chamou mais atenção: o cartaz de famosa cantora gospel. “Ela estava com dificuldades na carreira, mas melhorou quando tiramos o cartaz daqui”, crê Marcelo, que não revela o nome da artista.

Evangélicos de várias denominações garantem que suas vidas deram salto após subir a colina. “Aqui encontro paz. Aprendemos com Jesus, que subiu montes para orar e ficar mais perto do Pai”, diz a dona de casa Solange Batista, 54, de Cascadura, que é da Igreja Nova Vida. Boêmio convertido, o segurança José Luís Barroso, 50, morador de Irajá e membro da Brasa Viva no Altar, de Vaz Lobo, diz que o monte o faz se desligar do mundo. “É um retiro espiritual onde não me preocupo com telefone”

O próximo passo do guardião do monte é pedir ajuda ao poder público para reflorestá-lo. “Temos que cercá-lo, pois os porcos da favela têm comido as plantas rasteiras”, explica Marcelo. Outros montes e curiosidades

HÁBITO ANTIGO

No Rio, a pregação evangélica em montes é hábito antigo. Um dos mais conhecidos é a Pedra do Batan, em Realengo, frequentada desde os anos 90. Há ainda o Monte Viegas, em Bangu; Oreb, em Mesquita; Monte do Azeite, em Caxias; Mata do Céu, em Jacarepaguá; Monte da Vitória, em Costa Barros, e Monte de Jacó, em Tomás Coelho.

MICRO-ONDAS DO BEM Na pedra onde ficava o ‘micro-ondas’ do tráfico em Irajá, foi instalado outro forno, mas do bem: é a ‘Queima de pedidos’. No fogo, os fiéis atiram pedaços de papel com o mal a ser incinerado.

MONTE ORIGINAL O Monte das Oliveiras, em Israel, é sagrado para judeus, cristãos e muçulmanos. Lá Jesus foi capturado por soldados romanos para ser crucificado.

veja também