Morador de Nova Friburgo faz apelo ao "povo de Deus"

Morador de Nova Friburgo faz apelo ao "povo de Deus"

Atualizado: Quarta-feira, 2 Fevereiro de 2011 as 12:22

O Portal Diante do Trono recebeu uma carta de um morador de Nova Friburgo, que foi atingida por fortes chuvas semanas atrás, contando detalhes de tudo o que ele viu e presenciou, além de fazer apelos ao povo de Deus, para que não façam como a mídia que esqueceu da região serrana de algumas semanas pra cá. A região, sem dúvidas, ainda precisa de nossa intercessão. Leia a carta na íntegra:

Oi Pessoal do Portal DT, hoje abri o blog da Ana e pude ver uma carta enviada à Isabel do Pastor Sergio Paim aqui de Nova Friburgo que tem trabalhado arduamente nesses últimos dias como muitas igrejas e pastores para reconstrução física, emocional e espiritual de nossa cidade. Aproveitando, tomei a liberdade de poder escrever um pouco de que também tenho visto e vivido nesses últimos dias:

Na noite do dia 12, eu e minha esposa fomos incomodados a interceder por Nova Friburgo, diante de tanta água da chuva que caia na cidade. No bairro de Olaria já estamos abalados com um prédio que caiu um dia antes de toda tragédia, onde 4 pessoas morreram soterradas. Trabalho em uma escola perto deste prédio, e pude escutar o momento do desmoronamento. Era muita poeira, gritos, e não estávamos entendendo nada do que estava acontecendo. Quando a poeira baixou, vi um prédio e algumas casas totalmente destruídas. Uma cena nunca vista antes por nenhum morador daquele bairro.

Foi terrível, pois havia ali pessoas conhecidas. O que fazer? Como ajudar? O corpo de bombeiros, defesa civil e  a policia militar trabalhavam arduamente para poder encontrar alguém com vida. Mas o pior ainda estava por vir. A noite chegou e aparentemente tudo andava ao “normal” na cidade. A chuva não parava de cair, era uma chuva fraca, quase uma neblina intensificada por algumas rajadas fortes de água. Por volta de onze horas da noite o que antes era quase uma neblina, se tornou um temporal inexplicável. A intensidade da água era tanta que a terra não conseguia escoar a água. A rua da minha casa foi tomada por tanta água que parecia um rio. Eu e minha esposa estávamos na janela, foi quando naquele momento o Espírito Santo nos direcionou a uma intercessão por Nova Friburgo. Não sabíamos e tão pouco entendemos o propósito deste convite, achamos que estávamos apenas cumprindo o papel de bons cristãos orando por nossa cidade.

Fomos dormir, estávamos cansados e já era por volta de 3 horas da manhã. No dia seguinte ao acordar, parecia que tinha dormido em cima de pregos, pedras ou algo parecido, só para poder ilustrar o tamanho da dor que estava sentindo em meu corpo físico em reflexo do mundo espiritual. Achei que era por ter dormido em posição não favorável ao corpo. Quando saímos de casa pela manhã, já me deparei com um grande clarão na montanha que conseguíamos avistar do bairro de olaria, ao andar percebi que muitas montanhas ao redor haviam sofrido deslizamentos, ouvíamos burburinhos pelas calçadas que Nova Friburgo tinha acabado. Não tinha dimensão do que havia acontecido, pois o bairro onde moro, apesar do desastre do prédio, foi um dos menos afetados na cidade. De repente começamos a ser bombardeados de informações trágicas, prédios que haviam caído, casas estavam soterradas, pessoas mortas por toda parte.

Cada historia parecia cenas de filmes de terror que via na minha adolescência. Não pude acreditar em tais relatos se não visse com os meus próprios olhos. Não tem como explicar o que vi na cidade de Nova Friburgo, como o pastor

Sergio Paim disse, nem 10% foi mostrado na mídia. Eram corpos e mais copos, a todo momento, e eles eram achados, muitos gritos, pessoas chorando. Por falta nas primeiras horas de contingente de bombeiros, policia etc… Parentes, amigos cavavam com as próprias mãos as casas soterradas para ver se conseguiam achar alguém vivo, enquanto cavavam eles gritavam e choravam. Não pude me conter, apesar de não perder ninguém da minha família, não tive estrutura emocional para agüentar vivenciar aquelas cenas. O terror era tanto que parecia uma guerra, Nova Friburgo nunca viu tantos helicópteros sobrevoando, tantos soldados, tantos carros de bombeiros, os barulhos das sirenes eram ensurdecedores. A Nova Friburgo que antes era dominada por barulhos de pássaros cantando, pessoas sorrindo, crianças correndo pelas ruas, agora era cenário de uma das maiores tragédias climáticas já acontecida no Brasil. Uma das cenas fortíssimas que pude presenciar foi quando vi uma criança sentada na beira do meio fio com os olhos lacrimejados. Umas 3 pessoas se aproximaram dela e perguntaram:

- Com quem você está?

Ela respondeu:

-Sozinho.

-Cadê seus pais? – perguntaram.

Ela apontou para um desabamento onde só se via terra e um pedaço da

geladeira e muita madeira e disse:

-Eles estão ali.

Estou escrevendo este e-mail com lágrimas descendo a minha face e com as mãos trêmulas em trazer estas cenas em minha memória. Parece que estou vivenciando-as novamente. Ao sair do meu trabalho dia 28/01 por volta de 18 horas, quase chegando ao portão do meu prédio, passou por mim um carro onde ouvi alguém gritar o meu nome. Olhei mas não dei tanta importância assim, percebi que aparentemente não conhecia o motorista. Continuei andando quando percebi que ele havia me chamado pela segunda vez. Ele me perguntou se eu o estava reconhecendo. Disse que não. Aproximei-me do carro e ele disse quem era. Era um amigo que havia estudado comigo há mais ou menos 11 anos atrás. Me lembrei vagamente daquele rosto e perguntei se estava tudo bem. Foi quando me deparei com suas lágrimas. Perguntei o que estava acontecendo e ele me disse que havia perdido tudo o que tinha, a casa com todos os móveis dentro. Perguntei se alguém havia morrido, ele disse que as coisas mas preciosas que o Senhor havia lhe dado estavam ao lado dele. Quando abaixei e olhei para o banco do carona, vi sua esposa e um neném de 2 meses de idade (peladinho). Perguntei para onde eles estavam indo, e ele me disse que estava sem paradeiro, não tinha para onde ir e que na noite passada havia dormido com sua esposa e filho dentro do carro. Não tive outra reação a não ser trazê-los para minha casa, ofereci toda dependência da casa para eles, naquela hora tive uma sensação de vergonha em ter uma casa e de não ter abrigado ninguém, eles estavam cheios de lama pois voltaram à casa desabada várias vezes para poder recuperar alguma coisa (documentos). Eles tomaram banho, enquanto eu e minha esposa preparávamos uma janta simples, porém naquela situação parecia um banquete. Ao estarmos na sala, preparados para jantar, senti a necessidade de fazer uma oração, não aquela que em especial agradecemos pelo alimento, mas aquela onde somente o espírito santo, poderia alcançar os corações deles. Essa era a oportunidade!!! Durante aquela oração vimos tantas lagrimas de dor, tanto desespero, tanta frustração, tanta decepção. Convidamos o Espírito Santo a sondar o coração deles, convidamos o Senhor Jesus para estabelecer um Trono e fazer moradia no coração deles, tirando toda dor e derramando paz, calmaria, trazendo esperança, reavivando os sonhos. Eles cederam ao Espírito Santo, e disseram que mesmo sendo de outra religião, nunca sentiram Deus tão forte e presente. Aleluia!!! Sabem como é o nome do bebê? Samuel. (Ele é lindo, orem por ele. Ele não está bem de saúde).

O Senhor deu um livramento a eles tremendo. Ele tem grandes planos para eles. Eu sinceramente não sabia tamanha importância daquelas poucas horas que fui convidado pelo Espírito Santo a estar intercedendo por esta cidade. Como me lembrava dos testemunhos que pude acompanhar do Diante do Trono nas cidades, nos países que vocês iam e ministravam em orações e em atos proféticos, declarando o poder soberano do Senhor Jesus naquelas regiões, naquelas cidades, naqueles países, convidando o Senhor Jesus a tomar o trono que sempre foi Dele. Nesses últimos dias disse ao Senhor Jesus que onde eu pisasse em cada canto dessa cidade iria declarar a presença do Senhor Jesus. Porque estou escrevendo tudo isso? Para fazer dois apelos:

O primeiro é que já fazem mais de três semanas que tudo aconteceu. A mídia já parou de divulgar toda tragédia que nem chegou a 10%. A tendência é de que as cidades da região serrana sejam esquecida por todos. Muitos não sabem que ainda existem muitas coisas a serem feitas por estas cidades. Temos vivenciado alguns problemas como o aluguel social do governo que está vindo, as pessoas vão poder alugar suas casas, mas do que adianta uma casa se não tiver fogão para fazer os alimentos (nessa hora a cesta básica para essas famílias não tem muito valor), do que adianta uma casa para dormir se não tem colchão? Do que adianta um banheiro para tomar banho se não tem chuveiro? Sei que as coisas vão se resolver, e que para tudo existe um tempo. Vamos esperar por ele.

O segundo apelo é para o povo cristão. Não estou falando de maranata, batista, assembléia, mas de servos e filhos

do Senhor. Após toda a tragédia, as pessoas estão emocionalmente e espiritualmente abaladas, as necessidades básicas, como brigo, comida, roupas, já tem sido feitas e muito bem. Agora é a hora de falar desse amor incondicional que temos o privilégio de viver, agora é a hora de falar de um Deus que mudou a minha e a sua vida e que pode mudar a de muitos que hoje perderam as esperanças e não conseguem acreditar em Deus. Agentes do inferno têm trabalhado dizendo por aqui coisas do tipo: “Como pode Deus ter deixado essa tragédia acontecer e matar muitas pessoas inocentes assim?”

Se você sonha com missões e está esperando a oportunidade, a hora é essa. Aqui tem um povo que precisa ser tocado pelo Espírito Santo, quer motivação maior do que a que Jesus pode plantar no coração do homem para recomeçar? Se você não pode vir, exerça o ministério da intercessão. Ore para ser quebrada toda corrente de satanás nessa região. Um dia antes da tragédia, a Câmara Municipal de Nova Friburgo aprovou o Projeto de Lei nº 2.273 de 2009, anti-homofobia. Ore para que satanás não aproveite a oportunidade para disseminar o que mais ele sabe fazer: Contenda, ódio, depressão. matar, roubar e destruir. Ore para o Senhor fortalecer os homens e mulheres de Deus que estão assumindo essa frente de batalha que não está sendo fácil. Que a região serrana seja alvo das suas orações.

Nós vamos reconstruir essa cidade, e nela muitos vão reconhecer o Senhor Jesus como único e suficiente salvador. Nova Friburgo será um celeiro espiritual para muitas pessoas. Para tudo isso contamos com você e suas orações, agora é a hora de juntarmos nossas forças como irmãos em Cristo Jesus.

Obrigado pela oportunidade.

Deus abençõe a todos.

Renan Alves e Lídia Monteiro.  

veja também