Moradores cobram fiscalização da Patrulha do Silêncio em igreja

Moradores cobram fiscalização da Patrulha do Silêncio em igreja

Atualizado: Quarta-feira, 31 Agosto de 2011 as 9:15

Os moradores que residem próximo à uma igreja evangélica, localizada na avenida Leopoldino de Oliveira, onde antes funcionava o cine Palace, reivindicam, das autoridades competentes, providências em relação ao barulho excessivo vindo do local, tanto durante o dia como na madrugada.

"O barulho aqui é infernal, não aguento mais acordar e dormir com gente pregando que está retirando o demônio. Eles não têm hora para nada, e não desconfiam da altura do som", relata a moradora L. C., que reside próximo à igreja.

Conforme os vizinhos, eles já entraram em contato com os participantes da igreja, mas estes nada fizeram para amenizar o barulho. "Será que eles não compreendem que o limite existe para todos. Não achamos ruim que eles preguem a palavra de Deus, ou mesmo retirem o demônio do mundo, mas que tenham, pelo menos, controle do volume que utilizam", menciona a moradora.

Guarda Municipal - Conforme o diretor da Guarda Municipal (GM), Marco Túlio Gianvechio, o número de ocorrências nas igrejas evangélicas tem sido frequentes na cidade. "Temos trabalhado muito com nossas patrulhas na fiscalização desses tipos de locais. A comunidade, geralmente, reclama do som alto dos microfones, das bandas de músicas gospel e até mesmo dos gritos dos pastores. Mas a atuação da patrulha é para todos, assim como fazemos com os carros com som alto, residências, enfim, fazemos nas igrejas também", ressalta.

Gianvechio explica que o volume máximo permitido de som, até às 18h, é 70 decibéis. "Das 18h às 22h, o permitido é 60 decibéis e após às 22h, apenas o som ambiente pode ser utilizado em qualquer estabelecimento, seja casa, comércio, bar ou até igreja".

A importância da denúncia, através do número 153 ou 3313-0557, é imprescindível, segundo o diretor da GM. "A população precisa denunciar, até como uma forma de contribuir para manter a tranquilidade nos bairros e garantir o sono dos moradores".    

veja também