Moradores no MT dizem que Imagem de Jesus é desperdício de dinheiro

Moradores no MT dizem que Imagem de Jesus é desperdício de dinheiro

Atualizado: Quarta-feira, 2 Março de 2011 as 8:48

A instalação de uma gigantesca escultura de Jesus Cristo de braços abertos, condição semelhante a do Cristo Redentor do Rio de Janeiro, está gerando polêmica em Várzea Grande, em Cuiabá (MT).

A peça tem 3,5 metros de altura e foi fixada no final de semana no canteiro central da avenida 31 de Março, no bairro Cristo Rei, sobre uma base de concreto de dois metros. Confeccionada em fibra de vidro, a obra seria um presente do Rotary Clube para a cidade. Uma maneira de homenagear o Criador e ao mesmo tempo identificar a comunidade a partir daquela figura.

Como poucos moradores sabem quem pagou pela obra, muitos a consideram um desperdício de dinheiro. “A cidade está um caos, cheia de buracos, com falta de água, escolas em péssimas condições ao ponto de atrasar o início das aulas e eles aparecem aqui com essa escultura”, esbraveja Luiz Antônio Pereira da Silva Alves, morador do bairro.

 Luiz Alves acredita que há ações mais importantes para a gestão municipal se preocupar. Quem compartilha do mesmo pensamento é a dona de casa Maria Luiza Pereira. Ela não mora no bairro, mas costuma se hospedar na casa do filho, num bairro vizinho, de onde avista o Cristo. Maria Luiza acha a imagem bonita, mas acredita que antes de pensar em embelezamento, a prefeitura deveria cuidar melhor da saúde dos moradores.

Dona de um ponto de carrinho de água de coco próximo da escultura, Zenil de Almeida não vê nada de errado com a peça. Além de achar a obra bonita, ela espera que a presença de Cristo na avenida possa proteger os motoristas fazendo com que diminuam a velocidade, prestem mais atenção na pista e evitem acidentes. Na avenida 31 de Março, contou Zenil, ocorrem acidentes graves praticamente todos os dias.

O superintendente de Obras da Secretaria de Infraestrutura de Várzea Grande, engenheiro Nivaldo Sanches, disse que a Prefeitura praticamente não teve gastos com a confecção e instalação da escultura.

Sanches diz que o município fez apenas a base de alvenaria e disponibilizou operários para levar a peça até o ponto onde está instalada.

veja também