Morre o Pr. Nilson Fanini, único brasileiro a presidir a Aliança Batista Mundial

Morre o Pr. Nilson Fanini, único brasileiro a presidir a Aliança Batista Mundial

Atualizado: Domingo, 20 Setembro de 2009 as 12

Aos 77 anos de idade, o pastor Nilson do Amaral Fanini, único brasileiro até hoje a assumir o cargo de presidente da Aliança Batista Mundial, morreu na madrugada de sábado, dia 19 de setembro, nos EUA, após sofrer um AVC.Nilton foi internado na última quinta-feira em um hospital de Houston, no Texas.

Ele começou sua carreira religiosa na década de 1950, tendo sido consagrado pastor na Igreja Batista da Tijuca e, posteriormente pastor itinerante no norte do estado do Paraná. Fanini fez mestrado no Southwestern Baptist Theological Seminary, em Fort Worth, no Texas, nos EUA. De volta ao Brasil, pastoreou a primeira Igreja Batista de Niterói por 41 anos. Em 2005 fundou a Igreja Batista Memorial de Niteroi juntamente com cerca de 250 pessoas oriundas da PIB de Niterói.

Segundo o blog da Igreja Batista Memorial de Niterói (IBMN), o corpo de seu líder será cremado nos Estados Unidos amanhã (dia 21) e não será trazido ao Brasil. No dia 4 de outubro será realizada uma cerimônia de homenagem póstuma na IBMN fundada por Fanini e pela Câmara Municipal da cidade.

Nilton Fanini

Um dos mais conhecidos e respeitados líderes evangélicos do país. Fanini, que nos últimos 41 anos liderou a Primeira Igreja Batista de Niterói (RJ), realizou cruzadas em 109 países, celebrou cerca de 11 mil batismos e ocupou cargos importantes como a presidência da Convenção Batista Brasileira (CBB) e da Aliança Batista Mundial, que congrega mais de 100 milhões de fiéis em todo o mundo. Figura pública de destaque, fundou e presidiu por mais de 30 anos o Reencontro, entidade que presta atendimento médico, educacional e social aos carentes. Homem de mídia, Fanini manteve no ar, por três décadas, programas de rádio e TV, publicou cinco livros e produziu milhares de mensagens, estudos bíblicos e trabalhos de cunho teológico.Ao longo de quase meio século de ministério, o líder batista tornou-se referência dentro e fora do segmento evangélico, a ponto de ter sido interlocutor de todos os presidentes brasileiros desde o general Ernesto Geisel,

veja também