Muçulmanos exigem enforcamento público de jovem cristão acusado de blasfêmia, no Paquistão

Patras Masih foi acusado falsamente de blasfêmia após publicar uma imagem em um grupo virtual de amigos.

fonte: Guiame, com informações do Portas Abertas

Atualizado: Domingo, 25 Fevereiro de 2018 as 8:44

Imagem ilustrativa. Os muçulmanos ameaçaram tocar fogo na casa de um pastor. (Foto: Reprodução).
Imagem ilustrativa. Os muçulmanos ameaçaram tocar fogo na casa de um pastor. (Foto: Reprodução).

Um jovem cristão, de 22 anos, foi vítima de uma falsa acusação. Patras Masih trabalha como faxineiro em um banco, onde seu pai também trabalha como motorista. Há semanas atrás, ele publicou publicou uma foto em um grupo de amigos, onde havia tanto cristãos como muçulmanos.

Foi então que um homem registrou uma denúncia de blasfêmia contra Masih. O acusador disse que pediu ao administrador do grupo que exigisse a retirada da foto, mas ele se recusou, deixando as pessoas chateadas e com raiva.

A mãe de Masih, Saima Bibi, informou que no último domingo (18), seu filho foi procurado duas vezes por dois grupos de pessoas, que tinham sua foto. Quando ele chegou em casa, não entendeu porque as pessoas estavam atrás dele.

Masih relata conta que na manhã do dia 19, saiu cedo de casa com seu pai para trabalhar. Mas um amigo lhe telefonou dizendo que uma multidão estava se formando do lado de fora.

Saima diz: “Então os dois fugiram e eu fui para casa. Quando a polícia bateu na minha porta, eu estava no banheiro. Eles procuraram, mas não me acharam. Quando foram embora, fui para o segundo andar e pulei para a casa do vizinho”, relatou sobra sua fuga.

Forca

Após ter seu anonimato garantido, por motivos de segurança, um pastor local contou que vários homens se juntaram e pediram que lhe entregassem Masih sob ameaça de colocar fogo nas casas, pois já possuiam gasolina. Então a polícia chegou com um grupo de líderes religiosos para tentar negociar com a multidão.

Apesar dos policiais conseguirem desbloquear a estrada, os manifestantes continuaram pedindo a prisão e enforcamento público do jovem cristão. O tio dele, Arif Masih, disse que de noite, quando a multidão estava ficando fora de controle, eles foram até a delegacia entregar Masih a eles.

“Desde então, não sabemos o que aconteceu com ele”, lamenta.

Blasfêmia?

O uso das redes sociais tem se tornado uma difícil questão no Paquistão, nos últimos anos. De setembro de 2012 a janeiro de 2016, o Youtube ficou bloqueado no país. Em março do ano passado, o Facebook também foi ameaçado de ser completamente fechado se todo conteúdo que indicasse blasfêmia não fosse removido. Os nomes desta matéria foram trocados por motivos de segurança.

veja também