Muito prazer, Rio de Janeiro. Mas pode me chamar de Sodoma

Muito prazer, Rio de Janeiro. Mas pode me chamar de Sodoma

Atualizado: Quarta-feira, 6 Janeiro de 2010 as 12

Por Renato Vargens

Uma pesquisa que mapeou o comportamento do brasileiro na cama mostrou que eles estão fazendo cada vez mais sexo sem se preocupar em ter um envolvimento afetivo com o parceiro. Dos homens entrevistados, 75,8% confessaram que colocam amor e sexo em lados separados da cama. Os cariocas foram os campeões: 82,7% deles afirmam que transam muito e sem qualquer compromisso numa boa.

Os dados sobre o comportamento sexual do brasileiro foram revelados na pesquisa Mosaico Brasil. Coordenado pela psiquiatra Carmita Abdo, do Projeto Sexualidade (ProSex) do Hospital das Clínicas de São Paulo, o levantamento ouviu mais de 8.200 brasileiros de dez capitais.

Pois é, a sociedade a qual fazemos parte tem se caracterizado por uma frenética busca por sexo. O índice de pessoas dependentes de relações sexuais com variados parceiros é cada vez maior. Na verdade, indivíduos de todas as idades e de ambos os sexos, dedicam por parte do seu tempo pensando "somente naquilo." Diante disto sou obrigado a confessar que me assusta o fato de saber que tantas pessoas desenvolvem relacionamentos sexuais desprovidos de amor, respeito e fidelidade. Sem sombra de dúvidas a ovacionada cidade maravilhosa vivencia o mais baixo nível de degradação moral, levando-nos a nós cristãos a um estado de vergonha e ruborização da face.

Caro leitor, diante de tempos tão difíceis como os que vivemos torna-se indispensável que a igreja evangélica se posicione audaciosamente contra a promiscuidade que nos cerca. Como cristãos é indispensável que entendamos que temos por missão anunciar aos doentes da alma e da mente a maravilhosa noticia de que se é possível mudar de vida. Para tanto, é absolutamente necessário que proclamemos o evangelho da salvação eterna, o qual é tremendamente eficaz para libertar o ser humano de seus dramas, dilemas e sofrimentos.

Tenho plena convicção de que como seguidores de Cristo, não devemos nos curvar diante da imoralidade que tem destruído parte da sociedade brasileira. Como discípulos do Senhor, temos por missão anunciar a esta geração, Jesus, o qual é único capaz de satisfazer o vazio da alma transformando gemidos em esperança, escravidão em liberdade, libertinagem e m liberdade.

Pense nisso!

veja também