"Muitos não sabem o que significa o pentecoste", afirma escritor

"Muitos não sabem o que significa o pentecoste", afirma escritor

Atualizado: Quarta-feira, 10 Novembro de 2010 as 3:05

Apresentar um estudo mais profundo sobre a cultura judaica, a igreja cristã e o fenômeno pentecostal. Essa foi a intenção de Marcelo Magalhães ao escrever a sua obra mais recente "Israel, A Igreja e o Pentecoste".

Em uma entrevista publicada no site BrasilWiki, o escritor e autor do livro falou mais sobre a sua conversão ao evangelho, as dificuldades enfrentadas pelos escritores no Brasil e que o motivou a lançar esta obra.

Confira na íntegra a entrevista

Fale um pouco sobre você e como começou a escrever.

Sou um homem simples, humilde, brincalhão, um eterno meninão. Trabalhador, honesto e que procura servir a Deus com sinceridade. Freqüento as Assembléias de Deus faz 30 anos onde me converti aos 16 anos e estou até hoje. Tenho uma linda esposa a Claudinéia e meus dois filhos, Marcelinho e Bruna.

Interessei-me pelos estudos bíblicos ainda adolescente, num grupo de jovens católicos chamado de Júpiter Mirim onde comecei a estudar a Bíblia por intermédio do coordenador do grupo o seu Ataíde, hoje falecido. Daí pelo conhecimento da verdade me converti na Assembléia de Deus, comecei a estudar a Bíblia mais intensamente e fui até mesmo perseguido em casa pelo meu pai que não concordava com minha conversão e minhas atitudes de castidade. Inclusive na época ele era um alcoólatra, rasgou umas três Bíblias minha e me batia intensamente.

Eu chorava muito e como éramos muito pobres, não tinha lugar para orar em casa e orava no banheiro, ajoelhado no vaso sanitário, pedindo a Deus graça e misericórdia para minha família.

Aos 19 anos fixei na Acesita, hoje Arcelor Mital e estou até a data de hoje com 25 anos de empresa, atuando na área de segurança patrimonial, como Bombeiro de Fogo, trabalhando a prevenção e conscientização das pessoas sobre incêndio, acidente e relações interpessoais.

Também sou professor de Teologia do Novo e Velho Testamento, conhecedor da cultura judaica e das línguas bíblicas e atuo na área da educação de jovens e adultos como professor de Ensino Religioso em Timóteo.

Comecei a escrever ainda novo, quando solicitado para dar alguns estudos bíblicos e me interessei muito pela educação cristã pela influência do pastor Hilmar Satlher de Laginha - MG que me iniciou nos estudo do grego e hebraico.

Conheci algumas pessoas cultas e intelectuais, como o amigo José Fortunato que me indicou alguns autores de renome teológico. Comecei a me dedicar cada vez mais e ai também conheci um pregador do evangelho o amigo pastor Elias Amaral de São Paulo, homem de Deus, que gostou de meus estudos e me deu a idéia de escrever um livro, este, me incentivou de verdade e ai comecei a me dedicar e humildemente procurar ajuda de pessoas idôneas.

A editora Oxigênio Books está lançando Israel, A Igreja e o Pentecoste, de que trata esse trabalho ?

Este livro trata de uma assunto muito em voga hoje em dia o "Pentecostalismo". Como muitas pessoas não sabem ou conhecem o que é e significa realmente o Pentecoste, resolvi escrever sobre esse tema fantástico, com muitas lições para a vida tanto espiritual como material.

Todo trabalho é fiel a cultura judaica e tiradas de fontes fiéis, inclusive faço o uso dos textos grego e hebraico. Pela mesma forma um bom embasamento teórico de vários autores de diferentes correntes e denominações cristãs e da cultura judaica.

Infelizmente hoje tem aparecido vários movimentos e são criadas novas denominações religiosas ditas "pentecostais", com seus usos, costumes, hábitos e ritos. Muitos líderes de certos movimentos, são alienantes e gostam de cultos alienantes, com manipulação de mentes e de vidas, há muitos exageros, que não tem nada a ver com o pentecoste ocorrido na Igreja Primeva.

Nessa obra não faço apologia a um ponto ou outro de vista, sejam pentecostais, neo-pentecostais e aos tradicionais conservadores. Somente analiso os pontos bíblicos com o uso das ferramentas da hermenêutica e da exegese, para a melhor compreensão de todo aquele que realmente quer obter um conhecimento fiel das Escrituras.

Qual o seu objetivo em escrever sobre esse tema?

Conscientizar as pessoas sobre a origem do Pentecoste, sua importância para o judaísmo.

Refletir sobre o que é o Pentecoste para o cristão como o marco inicial do cristianismo e a capacitação e revestimento de poder para quebrar todas as formas de preconceito com o próximo.

Esclarecer sobre o que é realmente as línguas faladas pelos apóstolos registrada em Atos 2.

Especificar o que o apóstolo Paulo fala a respeito das línguas dos anjos e sobre o exagero dos que queriam ser mais espirituais do que os outros.

Quebrar todas as formas de discriminação e preconceito com as pessoas de outras denominações, sejam: tradicionais, pentecostais, neo-pentecostais.

Esclarecer sobre a questão dos abusos que certas pessoas e líderes cometem a respeito da glossolalia (línguas estranhas ou comumente falando língua dos anjos) e dos dons espirituais.

Incentivar as pessoas a leitura, reflexão e prática da Palavra de Deus sobre o olhar do Espírito Santo.

Despertar nas pessoas as verdadeiras virtudes espirituais e a busca constante da original mensagem de Deus.

Quais são as principais dificuldades enfrentadas para o lançamento de um livro no Brasil ?

São muitas.

Gostaria de salientar uma que é a mais difícil. Formar novos leitores, pessoas que não somente desvendam caracteres, juntam signos, mas que saibam ler, interpretar a vida, as dificuldades que o povo sofrido enfrenta e qual realmente é a verdadeira mensagem de Deus para o ser humano.

Outra dificuldade é que a maioria dos brasileiros não são adeptos a uma boa leitura, grande parte não são intelectuais, não gostam de pensar, são preguiçosos e ai surge a necessidade de despertar esse interesse nas pessoas em busca do saber e exercitar a mente com coisas edificantes para a vida e também na prevenção de certas doenças relacionadas com a mente.

Uma outra é que há editoras que não gostam de dar oportunidades para desconhecidos, gostam daqueles que fazem sucesso e que suas obras são garantia de vendas e lucros. Algumas, pelas suas dificuldades, dão oportunidade, mas são poucas, precisamos de mais oportunidades, pois tem muita gente boa, com talento nesse nosso riquíssimo Brasil.

Seu livro trata de um tema bastante importante para os cristãos, porém você o apresenta de forma pratica e honesta. Como foi o processo de criação e pesquisa para esse trabalho?

Antes, escrevi um livro que fala sobre a Páscoa cujo título é: Páscoa no judaísmo e no cristianismo, editado pela Dynamus. Tudo fiel aos originais judaicos, o ritual deles, Jesus quando comemorou a páscoa, o apostolo Paulo quando ensinou sobre a Santa Ceia e a questão da páscoa popular, a origem do termo e do ovo da páscoa.

Conversei com muita gente e busquei orientações e estava sempre aberto ao diálogo. Conversando com um amigo meu, o pastor José P. Rezende Filho, conhecido aqui como Teco Rezende, ele leu esse primeiro livro e me orientou a respeito de várias coisas e me disse escreve também sobre o pentecoste você tem talento e vai ajudar muita gente. Então, me interessei por desenvolver esse tema por causa do estímulo do Teco e do desconhecimento de muitos cristãos sobre o verdadeiro Pentecoste o Xavu’ot dos Judeus.

Quando comecei a pesquisar vi quão profundo era este tema e o que estava acontecendo hoje sobre a questão que envolve os pentecostais e os não-pentecostais e os exageros que estavam e estão acontecendo. Daí comecei a pesquisar, refletir e desenvolver esse trabalho.

Que recado você gostaria de deixar aos seus leitores?

Primeiramente leiam com bastante entusiasmo, reflitam no que estão lendo, pesquisem mais, porque tem muitas coisas boas no mercado, sejam bons e assíduos leitores e construtores do saber.

Quando estiverem lendo, busquem orientação de Deus, meditem e assim aprenderão. Aprendendo, procurem ensinar com carinho, respeito e humildade e principalmente, colocar em prática a Palavra de Deus.

Nunca esqueçam, o verdadeiro cristão "vive para a glória de Deus"!

*Para saber mais sobre a obra, acesse: www.oxigenioonline.com

veja também