Mulher ressuscita na França

Mulher ressuscita na França

Atualizado: Segunda-feira, 25 Outubro de 2010 as 8:45

Uma mulher que havia sido considerada "clinicamente morta" em um hospital na França acordou 14 horas depois do diagnóstico. Lydia Paillard, de 60 anos, tem câncer e estava sendo preparada para uma sessão de quimioterapia quando um médico achou que ela tinha morrido, disse Yves Noel, diretor do hospital Rive Droite, de Bourdeaux. Ele a ressuscitou e colocou em um respirador artificial. Contudo, ao consultar outros especialistas, concluiu que a paciente estava "provavelmente morta". Os filhos dela, no entanto, se recusaram a desligar os aparelhos, e a transferiram ao hospital universitário da mesma cidade. Lá, uma nova equipe realizou exames que mostraram que Lydia, na verdade, não havia tido morte cerebral. "É um tipo de milagre", comentou um médico.

Ao acordar, horas, depois, ela defendeu o médico que fez a ressuscitação, afirmando que ele cometeu um erro de comunicação e não um erro médico. "Tudo o que eu me lembro é que eu não me senti bem depois de ter recebido uma injeção para me impedir de vomitar", disse Lydia, que agradeceu ao profissional por ter salvo sua vida. "Meus filhos me explicaram que o hospital queria desligar os aparelhos de suporte de vida. Eu realmente não entendi o que aconteceu, mas eles estão chocados", completou.

veja também