Mulheres falam como conciliar exercício da fé e carreira

Mulheres falam como conciliar exercício da fé e carreira

Atualizado: Quarta-feira, 17 Março de 2010 as 12

O portal Ig entrevistou nove mulheres de São Paulo (SP), entre 20 e 50 anos, que conciliam carreira, lazer e espiritualidade. A reportagem "Elas estão de bem com a vida e a religiosidade" conversou com adeptas ao protestantismo, catolicismo, budismo e espitismo.

Entre as evangélicas, estava a empresária Mariana Cavalcante de Camargo, 25 anos, membro da Igreja Evangélica Neopentecostal El Shaddai. Mariana contou ao Ig que agora tem um "relacionamento com Deus". "Antes, eu era aquela católica apostólica romana que não tinha um relacionamento com Deus, não era praticante"

Falando sobre como integrar a participação na igreja à rotina, Rita Silveira, 44 anos, membro da Igreja Renascer em Cristo, expôs: "Quando não é possível, acompanho ao vivo pela internet, e também sempre procuro participar das campanhas, jejuns, eventos".

Com o título "Mãos à obra", a reportagem buscou saber das entrevistadas como atuam socialmente. A publicitária Thaís Perez, de 26 anos, que faz parte da Igreja Batista do Morumbi, falou sobre sua visita a Cananeia, no litoral de São Paulo, cidade onde vivem muitas famílias de pescadores em situação de pobreza. "Embora tenhamos ido lá para levar coisas boas, também saímos ganhando: foi incrível ver pessoas que vivem com quase nada em termos de bens materiais, mas possuem muito carinho e gratidão", conta.

A reportagem falou ainda sobre a relação entre vaidade feminina e o desapego de bens materiais. Renata Censon, gerente de uma agência de publicidade, de 36 anos, membro da Igreja Batista, afiirmou que "a imagem é o seu cartão de visitas", mas não a coloca como prioridade. "Gosto de marcas de roupas como Chanel e Versace, só que de maneira saudável. Deus continua vindo em primeiro lugar", justifica.

Para ler a reportagem na íntegra, clique aqui

Com informações Ig São Paulo

Por Adriana Amorim

veja também