Mundo Cristão lança "Meu legado espiritual"

Mundo Cristão lança "Meu legado espiritual"

Atualizado: Segunda-feira, 1 Dezembro de 2008 as 12

James M. Houston, fundador do Regent College, em Vancouver (Canadá), escreve que o discipulado cristão requer que vivamos "no perigoso limite da nossa cultura". Em "Meu legado espiritual", recém lançado no Brasil pela Mundo Cristão, Houston, autor de mais de quarenta livros, lança um olhar crítico sobre a cultura cristã e secular que nos cerca. Com isso, ele questiona tanto os princípios do humanismo secular quanto do cristianismo profissional.

No centro da visão de Houston sobre a vida cristã está o relacionamento com Deus. Hoje - quando tecnologia freqüentemente excede ou distorce relacionamentos humanos e deixa muitos de nós com um sentimento profundo de solidão -, temos dificuldade de lembrar o que significa ser íntimo do próximo. James Houston usa a noção de ética - "ética é viver na presença do outro" - do filósofo Emmanuel Levinas para delinear suas idéias. Portanto, diz Houston, o que o cristão diz a Deus não é "aqui está tudo o que penso e sinto sobre você", mas "aqui estou; vamos nos relacionar".

Houston faz menção a muitos escritores que o antecederam, entre eles John Bunyan, Richard Baxter, George Herbert e Soren Kierkegaard. De fato, "Meu legado espiritual" é uma extensa meditação baseada em uma das percepções mais cruciais de Kierkegaard: a morte física é menos temível do que a morte moral.

Praticamente cada página deste livro expressa o interesse característico de Houston pelo cultivo da vida interior. Ele quer realmente ajudar seus leitores a se tornarem pessoas melhores - isto é, pessoas cuja vida se baseie na redenção de Jesus Cristo. Houston sugere que o atual excesso de interesse pelas "comunidades" terá sido vão se os cristãos procurarem construir comunidades centradas nos indivíduos e não sob a sombra de Cristo. Há perigos, é claro, neste tipo de pensamento. Numa era terapêutica, que Cristopher Lasch chamou de "a era do narcisismo", seria fácil entender a mensagem de Houston como um chamado à auto-realização. Ele não está preocupado em ajudar as pessoas a se "auto-realizarem", mas sim em ajudar seus leitores a se livrarem da identidade que forjam para si, e que se encontrem verdadeiramente em Cristo.

No final, a principal lição de "Meu legado espiritual"  é que quem deseja sair da mesmice de uma sociedade e igreja pseudocristãs precisa viver no fio da navalha, sem abrir mão de suas convicções ou apegar-se aos modismos de ocasião. O livro de Houston é um relato importante de um rebelde com causa que inspira pela profundidade e o frescor de suas opiniões.

Autor: James M. Houston

Postado por: Claudia Moraes

veja também