Na Marcha, cantores apontam os gigantes que desafiam a Igreja

Na Marcha, cantores apontam os gigantes que desafiam a Igreja

Atualizado: Quarta-feira, 11 Março de 2009 as 12

Por Nany de Castro - http://www.guiame.com.br/

Comunicadores, câmeras fotográficas e filmadoras eram objetos presentes em grande quantidade atrás do palco da 17ª Marcha para Jesus. Tudo isso porque havia no local uma concentração de cantores e líderes de variadas denominações evangélicas. Alguns deles acompanham o evento desde suas primeiras edições, outros experimentaram a sensação de adorarem juntamente com outras 3 milhões de pessoas pela primeira vez. Em 2009, a Marcha trouxe o tema: "Derrubando Gigantes". O Guia-me perguntou então aos ministros de louvor quais os gigantes que a Igreja brasileira precisava derrubar.

Mariana Valadão, cantora que participou pela primeira vez na Marcha, expressou sua animação e desejo de marcar presença no próximo ano: "Essa foi a primeira de muitas, se Deus quiser. Foi uma alegria quando recebi o convite para estar aqui com todo mundo. Que honra é fazer parte desse marco de Deus na nossa nação, um marco para o resto da nossa vida".  E apontou a desunião como um dos inimigos da Noiva de Cristo: "Nós somos o povo de Cristo, precisamos vencer muitas barreiras, mas em especial a desunião".

Essa edição também foi a primeira para o vocalista da banda Praise Machine, Ricardo. Para o cantor, a Igreja tem hoje muitos obstáculos a vencer: "Os gigantes maiores são a desunião, que é algo que o Senhor está tratando; e o descaso dos governantes. A Igreja está saindo de um status de um &movimento&  e vai acabar tornando-se um grande mover de transformação em nosso País", disse.

Carlinhos Félix, cantor que já presenciou muitas Marchas em São Paulo, entende que o principal inimigo da Igreja é a vaidade: "Caindo esse gigante vai melhorar muitas coisas. Porque a vaidade é um grande pecado, acho que as pessoas têm que deixar ele de lado para poder vencer os outros".

A falta de integridade foi apontada por Kako, baterista do Militantes, como o principal alvo da luta da Igreja: "O pior gigante que a gente tem é a falta de integridade. Infelizmente a gente vê muita coisa errada por aí, tanto na política como dentro das igrejas. Acho importante você não olhar para o erro do seu irmão, o maior desafio é ser servo de Deus e não viver de aparência. A gente vê muito por aí, principalmente no meio da música. Pessoas que vivem por aparência, não vivem verdadeiramente o Evangelho. Está ali, tem um status, faz cara de adorador, de crente, e na verdade o cara é todo torto e errado".

Para o vocalista do Katsbarnea, Paulinho Makuko, os gigantes a serem vencidos não estão apenas no âmbito eclesiástico: "A gente tem que vencer tanta coisa: a hipocrisia, os fariseus, a desigualdade social e a corrupção no País".

Porém, as visões das denominações evangélicas podem ser o principal motivo para se Marchar, acredita Rafael Bitencourt, vocalista do Ministério Toque no Altar: "O maior gigante da Igreja é o fato das pessoas lutarem por suas visões. Cada pastor ter uma visão e não lutar pelo Reino. Acho muito difícil quando a Igreja começa a levantar uma bandeira, uma placa, e esquece de levantar questões que levam o Reino a crescer. Glorifico ao Senhor porque hoje não há placa, bandeira, só há um nome a ser glorificado, que é o do Senhor Jesus", concluiu.

veja também