Na outorga de título à pastora Marga uma homenagem aos injustiçados

Na outorga de título à pastora Marga uma homenagem aos injustiçados

Atualizado: Quarta-feira, 8 Setembro de 2010 as 2:13

Testemunha viva do evangelho e do amor de Cristo no Norte do país, a antropóloga e pastora da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), Rosa Marga Rothe, recebeu, na sexta-feira, 3, o título de Doutora Honoris Causa pela Faculdades EST, por seu engajamento na luta pelos Direitos Humanos.

“Este título é dedicado não só à pastora Rosa Marga, mas a todas as pessoas injustiçadas e marginalizadas pelas quais ela dedicou grande parte de seu trabalho pastoral”, disse o reitor da Faculdades EST, Oneide Bobsin, ao realizar a outorga do título.

Presente à cerimônia junto a outros pastores sinodais, o presidente da IECLB e moderador do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), Walter Altmann, disse que Rosa Marga tem sido uma mulher perseguidora de seus ideais na igreja, oferecendo uma de suas faces mais dignificantes.

Ao externar a satisfação da Faculdades EST pela outorga do título, o presidente do Conselho de Administração, Hilmar Kannenberg, recordou o “estimado serviço” prestado pela pastora luterana na condição de ouvidora do Sistema de Segurança Pública do Pará, cargo que exerceu por quatro mandatos, de 1997 a 2004.   

Em suas primeiras palavras de um discurso emocionado, o amigo e colega de Rosa Marga, pastor Roberto E. Zwetsch, disse que “para nós, que temos o privilégio de participar deste evento nesta noite, ficará gravado na memória a tranqüilidade, a leveza e a demonstração de fé e esperança que marcou e continua a ser uma característica da pastora Rosa Marga”.

Ao destacar os gestos de convivência ecumênica presentes na trajetória da pastora ao longo dos anos, Roberto disse que, junto à sociedade paraense, é público e notório o serviço prestado por Rosa Marga Rothe, uma mulher “reconhecida por sua teimosia esperançosa na luta pela dignidade humana, seja de quem for, pela coragem civil e pela fé inabalável na paz e na justiça”.

Ao tomar a palavra, a pastora Rosa Marga disse que a homenagem prestada pela Faculdades EST representava uma dose muita grande de emoção para um só coração.

Ela destacou o trabalho realizado na pequena Comunidade Evangélica de Belém do Pará que, ao longo dos anos, vem sendo referência de como ser cristão no extremo Norte do Brasil através do anúncio vivencial do evangelho na luta pelo respeito à cidadania dos considerados “invisíveis”.

“Foram justamente essas pessoas - consideradas invisíveis socialmente -, que me ajudaram a reconhecer Jesus Cristo nas camadas populares da nossa sociedade”, ressaltou Rosa Marga.

Integrante da Mesa de Honra, o prefeito de São Leopoldo, Sr. Ary Vanazzi, enalteceu o espaço das igrejas como referência para os socialmente desamparados e de inspiração para a busca de novos ideais na área dos direitos humanos.

Também integraram a Mesa na outorga do título, realizado no auditório da Faculdades EST, o vice-reitor da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, José Ivo Follmann, e a promotora de Justiça do Ministério Público, Carla Adami da Silva.

Por Micael Vier B.

veja também