Na Paraíba, presidiários encontram esperança em Deus

Na Paraíba, presidiários encontram esperança em Deus

Atualizado: Quarta-feira, 24 Agosto de 2011 as 9:23

O quadro prisional brasileiro revela uma situação um tanto drástica: superlotação, violência, mortes e descasos fazem parte do cotidiano de quase meio milhão de homens e mulheres que estão detidos. Motivo pelo qual, o País encontra-se em quarto lugar entre os países com maior número de pessoas em cárceres.

Enquanto as autoridades governamentais procuram encontrar solução para os problemas existentes, a Igreja Universal do Reino de Deus presta sua contribuição, levando mensagens de paz, fé e esperança aos encarcerados. Dando prosseguimento ao “ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16.15), a IURD segue à risca um dos seus princípios que é o de levar salvação aos sofridos, carentes e desprezados, pois está ciente de que a fé em Deus ultrapassa os limites das grades.

Antônio Galdino da Silva Neto, de 44 anos, é um exemplo de ressocialização. O ex-policial militar passou a frequentar os cultos da IURD, na época, no Presídio Serrotão,em Campina Grande. Lá, foi batizado nas águas e entregou a vida a Jesus. Anos seguintes, ganhou a liberdade, sendo absolvido.

Superando toda a dificuldade, recuperou em dobro tudo o que havia perdido, principalmente, o respeito profissional. “Com muita perseverança, consegui me libertar e ser batizado com o Espírito Santo. Voltei a estudar. Atualmente, curso o 2ª período de Direito, fundei a Associação dos Apenados da Paraíba e, por causa disso, fui nomeado pelo governador do estado a diretor do Presídio de Sapé”, conta.

Hoje, a história do diretor Galdino é referência de vida para os detentos e autoridades do estado da Paraíba. “Um dia, estive como vocês e também me batizei. Depois que decidi viver em novidade de vida, abandonei as práticas do passado, aceitando a Cristo como salvador. Aconselho todos a fazerem o mesmo, porque Deus é fiel e tem o poder de mudar a história de cada um, como fez comigo”, relatou o diretor aos detentos.

O trabalho realizado nos presídios na Paraíba já existe há 13 anos. Durante esse período, muitos se entregaram ao Senhor Jesus e foram batizados nas águas. O saldo desse trabalho positivo são pessoas ressocializadas, com ficha limpa, conscientes de ter prestado conta de seus atos à sociedade.

Segundo o pastor Miguel Soares, responsável pelo trabalho evangelístico nos presídios , centenas de apenados foram batizados através dos cultos da IURD nas casas de detenção e presídios. Recentemente, foi realizado o batismo no Presídio Regional do Sapé,em João Pessoa. Dezenasde presos foram batizadas nas águas. Na ocasião, foram distribuídas Bíblias e o livro “Nos Passos de Jesus”, best-seller de autoria do bispo Edir Macedo, que tem contribuído para a evangelização e esclarecimento sobre o batismo nas águas, em uma linguagem fácil para os novos convertidos ao Evangelho.

“Nossa missão é levar vida e fazer as pessoas conhecerem o Senhor Jesus, o Deus que salva, cura e liberta. Durante todos esses anos, testemunhei muitos milagres nos presídios; homens e mulheres restaurados pelo poder de Deus e reintegrados à sociedade. É uma luta, mas tem o gosto de vitória quando vemos os resultados”, relata pastor Miguel.    

veja também