“Não seja esquerda e nem direita, seja do Reino”, diz pastor Gustavo Paiva

O pastor Gustavo Paiva incentiva os cristãos a não serem regidos por movimentos partidários, mas sim pelas Escrituras.

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 20 Março de 2018 as 11:10

Gustavo Paiva incentiva cristãos a não serem regidos por movimentos partidários. (Foto: Reprodução/Facebook)
Gustavo Paiva incentiva cristãos a não serem regidos por movimentos partidários. (Foto: Reprodução/Facebook)

Diante dos crescentes casos de violência e crises envolvendo o cenário político, social e econômico do Brasil, muitas pessoas têm se dividido entre ideologias de esquerda e direita. No entanto, o pastor Gustavo Paiva alerta que o posicionamento dos cristãos não deve ser regido por movimentos partidários, mas sim pela Bíblia.

“Não seja esquerda e nem direita, seja do Reino”, disse o fundador do Ministério Nova Geração. “Não se julgue rico ou pobre, negro ou branco, saiba apenas do valor que Cristo pagou para te ter e entenda que somos todos de uma única cor: vermelha, do sangue que nos justificou, o sangue do justo Jesus”.

Em uma publicação feita no Instagram nesta segunda-feira (19), Paiva lembrou que reagir é a pior forma de expressar a fé cristã, “pois somos chamados para refletir a imagem do rei e do reino que pertencemos”.

“Seja um Cristão puro, ande em amor, perdão e sabedoria. Construa uma família sadia e cheia de alegria, faça seu trabalho com excelência e integridade, busque um raciocínio do reino”, disse ele.

O pastor destacou que, como cristãos, temos que lutar as guerras corretas. “A batalha de Pedro para defender Jesus custou a orelha (ouvidos) de Malcon. As nossas batalhas como igreja tem custado os ouvidos do mundo, e Jesus continua dizendo guarda a espada Pedro ou não reaja igreja”, afirma.

“Construir a partir do reflexo do reino que pertencemos é a resposta para o mundo quebrado, que não sabe o que quer. Até o dia em que verão uma imagem que realmente defina o anseio para qual foram feitos”, o pastor acrescenta.

Paiva finaliza sua mensagem com um apelo: “Que o Brasil não se torne evangélico, católico, muçulmano... Que ele seja de Cristo e uma expressão real do reino de Jesus”.

veja também