Nívea Soares em coletiva de imprensa: "Lugar de carne é na cruz ou no açougue"

Nívea Soares em coletiva de imprensa: "Lugar de carne é na cruz ou no açougue"

Atualizado: Quarta-feira, 18 Fevereiro de 2009 as 12

Cantora fala sobre a gravação do DVD Acústico que acontece na próxima quarta-feira, dia 18, em São Paulo

Da Redação

"Ele está entre nós. É realidade. Agora mesmo podemos ser cheios do Espírito Santo de Deus nesta salinha do hotel". A afirmação, dita em tom emocionado por Nívea Soares, fez parte da coletiva de imprensa concedida pela cantora no Mercure Hotel, em São Paulo, no último dia 13 de fevereiro. O evento antecedeu a gravação do DVD Acústico Nívea Soares, que acontecerá na próxima quarta-feira, dia 18, no Citibank Hall, na capital paulista.

Durante a coletiva, a cantora, além de esclarecer questões do novo trabalho, falou sobre a sua impressão a respeito do mover atual de Deus no Brasil, os desafios em gravar o primeiro DVD, idolatria evangélica, a sua aproximação com o ministério de David Quinlan, o posicionamento do cristão.  "A minha carne ama esse negócio de bajulação, mas tem que morrer. Lugar de carne é na cruz ou no açougue", disse Nívea.

Em determinado momento, a coletiva se transformou num clamor da ministra. "Que Jesus seja exaltado, entronizado, levantado. Importa que a Glória Dele brilhe. A gente vai passar, as nossas músicas vão passar e serem esquecidas. Importa que o Cordeiro de Deus seja exaltado". Com a voz embargada, num misto de  "aleluias" que soavam ao fundo, Nívea falou sobre a efemeridade da vida e ser feliz por olhar para Jesus.

Mais do que um produto no mercado gospel?

A música se torna enfadonha se a presença de Deus não vem e faz alguma coisa. Eu não aguento mais. Quando esse projeto veio eu orei ao Senhor e falei: - Deus, e aí, o que vai acontecer? Eu fiquei estragada, há anos atrás, quando fui tocada pela presença e pela Glória de Deus. Eu não consigo mais fazer música por fazer. A resposta que eu tive do Senhor foi: - É tempo de dar um passo de fé.

Eu creio que Deus quer liberar algo. O nosso desafio é sempre esse: calar a nossa carne, nossa alma, e ser um canal de Deus para que Ele faça alguma coisa. Da gente não vai sair nada que preste, mas quando o Espírito de Deus vem, Ele toca as pessoas e as vidas são transformadas. Aí vale a pena.

Critério para a escolha das músicas a serem regravadas

Têm muitas músicas do "Reina Sobre Mim". Até ouvi dizer hoje que é o "Acústico Reina Sobre Mim" (risos). É um CD que a gente gosta bastante e não tivemos a oportunidade de ministrar algumas canções. Não teve exatamente um critério. Creio que Deus foi dirigindo aos poucos. Refizemos a lista de música várias vezes. Quando chegamos a uma conclusão, Deus ainda mudou algumas coisas (risos).

Estamos atentos para o que Deus está fazendo. Não tem um critério. Procuramos estar sensíveis para o que Deus deseja fazer.

Existe um tema específico que Deus está ministrando no seu coração?

É o primeiro CD que gravamos que não é o Gustavo [marido da Nívea] que faz (risos). Foi um desafio muito grande. Já estávamos acostumados a gravar as canções de um jeito e de repente aconteceu um rearranjo dessas canções.

O Senhor começou a falar comigo em cima do livro Malaquias e a história de Israel naquele tempo. Os sacerdotes ofereciam sacrifícios a Deus de qualquer maneira. Eles simplesmente já sabiam fazer tudo e não tinham passado por uma reforma. Eles já tinham passado por um "avivamento". Pode-se dizer que houve um avivamento em Israel através de Neemias e Esdras. Eles conheciam todos os rituais, mas estavam oferecendo tudo de qualquer forma.

Não podemos lidar com as coisas de Deus do nosso jeito. Esse CD fala sobre quebrantamento, volta, humilhação. Tem um jeito de entrar na presença de Deus. Tem que ser com temor, com o rosto no chão e deixar a Glória de Deus brilhar. Creio que esse CD vai lidar muito com quebrantamento.

Idolatria evangélica e manipulação de líderes

Tem um amigo meu, queridíssimo, que um dia estava orando sobre a minha cabeça e disse: - Deus, livra a Nívea desse espírito imundo de idolatria, aonde as pessoas não podem ver uma mulher num púlpito que elas idolatram. Isso é influência da Rainha dos Céus e de um espírito maligno de idolatria. Isso endeusa mulheres nesse país. Nós queremos quebrar isso, em nome de Jesus.

Existe um pai e eu creio que existe uma revelação do pai para ser dada a cada um. A palavra que Deus tem trazido ao meu coração é: Libera o povo para estar diante de mim. Libera o povo da sua manipulação.

Gente, nós que somos ministros de louvor gostamos de manipular o povo. A gente sabe isso direitinho. "Levante as suas mãos, feche os seus olhos, faça isso e aquilo". Eu creio que o Espírito Santo de Deus quer nos levar a um nível aonde a Igreja possa amadurecer. Sempre vão existir lideranças para serem modelo, mas não existem gurus espirituais e isso já faz mais de dois mil anos.

Adoração é a situação espiritual de todos que vêm para Jesus. Entendemos e quisemos apresentar isso para as pessoas, para a Igreja, para os pequenos que comprar o nosso CD achando que dependem de nós para alguma coisa.

Eu me lembro do meu marido contando dos primeiros anos dele de conversão, quando ele era um adolescente. Lembro do Gustavo falando quando foi batizado pelo Espírito Santo. Ele não conseguia ouvir falar de Jesus, que ele começava a chorar e a ficar cheio. Ele ficava cheio ouvindo sertanejo evangélico (risos), sendo roqueiro. Nada depende de coisa alguma. Depende do Espírito Santo. E Ele está entre nós. É realidade. Agora mesmo podemos ser cheios do Espírito Santo de Deus nessa salinha do hotel. O Espírito Santo de Deus está aqui. O Espírito Santo de Deus está aqui hoje. O Espírito Santo de Deus está aqui. Que Jesus seja exaltado, entronizado, levantado. Que o nome Dele seja levantado na terra (emocionada). Importa que a Glória Dele brilhe. A gente vai passar, as nossas músicas vão passar e serem esquecidas. Importa que o cordeiro de Deus seja exaltado, entronizado acima de todo o nome. O resto vai passar. Essa maquiagem que eu estou usando vai derreter, se eu chorar muito aqui. Se não vamos ficar eternamente olhando pra gente.

Nós somos complicados. Nós ferimos. Nos decepcionamos. Quando olhamos para Jesus somos felizes. Conseguimos amar o próximo sem cobrar que ele seja perfeito.

Avivamento ou despertamento?

Eu não creio que estamos num avivamento. Eu creio num grande despertamento de Deus.

Eu ainda creio que a adoração precisa ser desmistificada. Ela se tornou um segmento. A adoração não é um segmento ou um estilo musical novo da prateleira de uma loja de música. Tem que tirar essa mística ainda. A porta está aberta. Todos que crêem podem entrar. Creio também que precisamos mais do que nunca - e podemos ver uma necessidade gritante disso - nos voltar para a Palavra de Deus.

Temos visto muitas coisas lindas. Crianças sendo batizadas com o Espírito Santo no meio da rua. Gente, é muito lindo poder ver isso. Pessoas sendo curadas. É muito lindo. Mas precisamos nos voltar a Palavra. Creio que o real avivamento que Deus vai fazer, será algo profundo. E precisamos ter raízes profundas, pois virão ventos muito fortes. Toda vez que tem um avivamento, tem uma perseguição e uma responsabilidade grande.

Envolvimento com o ministério de David Quinlan

Eu conheci o David Quinlan quando tinha aproximadamente 15 anos. Eu estava na Lagoinha ainda e lá na Igreja nunca tínhamos visto alguém ministrar e o ambiente mudar. Isso era dele. Era um cara simples, magrinho que chegava, pegava o microfone e até brincávamos que parecia um robozinho lá na frente. Quando aquele homem abria a boca, a presença de Deus começava a vir e os cultos duravam de três a cinco horas. Foi uma época que eu comecei a ter contato com algo diferente. Era um ambiente diferente. Eu queria aquilo. Eu lembro quando fomos a um acampamento com o David e o pessoal do louvor da Lagoinha. Então, o David pediu que viessem à frente pessoas que queriam fazer uma aliança com a Glória de Deus. Eu fui e me coloquei de joelhos.

O David colocou a mão na minha cabeça e disse: - Deus vai começar a te dar canções que vão tocar essa nação. Eu: - Hã?. Deus começou a falar no meu coração através dele. Ele ministrava uma nova unção e o fluir da presença de Deus. Eu nunca me esqueci daquele dia.

O que você aconselha para aquele que deseja de coração adorar ao Senhor?

Morra. Esse é um bom conselho. Uma das coisas que vemos no meio dos músicos, e os pastores que o digam, é que música é um bicho complicado. É porque o músico muitas vezes se isola das outras pessoas e não consegue se envolver com ninguém. Uma coisa que eu digo para os músicos é que eles precisam se envolver com gente. Jesus desceu e se envolveu com gente. O que você está fazendo nessa plataforma? Jesus desceu. O Criador do Universo se fez gente. Temos uma visão muito mística dos ministros. Muitas vezes queremos mostrar uma imagem contrária do que aquilo que somos para as pessoas. Queremos mostrar uma imagem evangélica perfeita. Isso não existe. Eu digo simplesmente para os músicos serem humanos e deixar Deus ser Deus. Morra para a sua vontade, para os seus desejos, os seus sonhos e deixa Deus fazer. Não se isole das pessoas.

Lugar de carne é na cruz

Precisamos nos posicionar. A final de contas, vamos dizer a verdade, nós que somos ministros gostamos de uma plataforma, uma fumaça. Gostamos da bajulação. O que vai mudar isso é o nosso posicionamento. Vamos parar de dizer mentira. A minha carne ama esse negócio de bajulação, mas tem que morrer. Lugar de carne é na cruz ou no açougue.

veja também