No Azerbaijão adventistas são questionados e acusados de culto ilegal

No Azerbaijão adventistas são questionados e acusados de culto ilegal

Atualizado: Quarta-feira, 26 Janeiro de 2011 as 11:37

Tensões entre os Adventistas do Sétimo Dia e as autoridades governamentais no Azerbaijão aumentaram no último mês, quando oficiais de polícia interromperam um culto de adoração da igreja para interrogar os membros, em Sumgait. Autoridades do Estado procuraram o local de encontro e confiscaram a propriedade da igreja – inclusive centenas de livros e DVDs – acusando os membros de se reunirem ilegalmente. Os oficiais de polícia têm realizado confiscos semelhantes de propriedades da igreja nos últimos anos.

Defensores da liberdade religiosa disseram que o incidente derivou de um voto parlamentar recente, que aumenta radicalmente as multas para adoração e evangelismo não-autorizados no país. Oficiais do Estado alegam que a congregação não tinha a permissão exigida para se reunir.

A constituição do Azerbaijão permite a liberdade religiosa, mas somente para grupos religiosos cujas igrejas têm permissão oficial para se reunir. Apesar de os adventistas estarem pedindo o registro para a congregação de Sumgait desde 2003, o processo está cheio de atrasos e recusas, disseram os defensores de liberdade religiosa locais.

Acrescentaram também que, apesar de repetidas reuniões com as autoridades, as solicitações de registro são sempre devolvidas ou ficam sem resposta. Em seguida, os líderes das igrejas locais pretendem se reunir com o Secretário de Assuntos Religiosos do Azerbaijão, na esperança de encontrar uma solução.

"Esperamos que as autoridades reconheçam o direito de uma comunidade de crentes – que não é uma ameaça à segurança do Estado – existir e adorar de acordo com suas tradições", disse o Pastor John Graz, diretor do Departamento de Assuntos Públicos e Liberdade Religiosa da Igreja Adventista mundial.

veja também