No Paraná, livros revelam verdades esquecidas

No Paraná, livros revelam verdades esquecidas

Atualizado: Sexta-feira, 24 Setembro de 2010 as 11:10

De acordo com a Pesquisa Produção e Vendas do Setor Editorial, realizada em 2008 pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da Universidade de São Paulo (USP), o brasileiro lê em média 4,7 livros por ano. O índice é pequeno se comparado ao de países desenvolvidos e ainda inclui livros didáticos, ou seja, de leitura obrigatória. Ainda assim, foi a leitura de um livro que motivou a transformação na vida de Alvina Rodrigues de Oliveira, da cidade de Laranjeiras do Sul, na Região Sul do Paraná, a 368 quilômetros de Curitiba.

Dois meses atrás o esposo de Alvina estava hospitalizado e recebeu a visita do pastor da igreja que ela freqüentava. O pastor deu a ele um livro para que lesse enquanto estivesse no hospital. O esposo acabou rejeitando o presente e a dona Alvina começou a ler o tal livro. Ao chegar ao décimo capítulo do livro Sinais de Esperança, ela ficou impressionada ao descobrir que o sábado seria o dia de guarda escolhido por Deus. Ligou imediatamente para a esposa do pastor de sua congregação e perguntou se ela sabia do que o livro dizia a respeito do sábado e incentivou-a a ler o material atentamente e em oração.

No sábado seguinte, Alvina foi até a Igreja Adventista de Laranjeiras do Sul e contou sua história na classe da escola sabatina. O casal Sueli e Moisés Vivan se ofereceram para estudar a bíblia com ela e a presentearam com outro livro, Tempo de Esperança. Mais tarde, o pastor da igreja, Célio Longo, acompanhado pela esposa, Jorgeana, visitaram-na e observaram seu interesse em ser batizada na Igreja Adventista e compartilhar suas descobertas com amigos e familiares.

Durante a visita do pastor adventista, Alvina enfatizou que sempre procurou descobrir as verdades da palavra de Deus. “Há vinte anos eu estava orando para conhecer a verdade e por intermédio de um livro, de um capítulo em especial, todo o manto de escuridão foi retirado”, disse Alvina. “Com o Sinais de Esperança aprendi que o sábado é o dia do Senhor e com o livro Tempo de Esperança aprendi como observá-lo segundo a vontade de Deus”, afirma.

Hoje, membro da Igreja Adventista, Alvina testemunha de sua descoberta e presenteia pessoas com os dois livros que a ajudaram a conhecer a verdade sobre o sábado. “Não preciso pregar muito. A verdade é muito clara. Não há como não santificar o sábado”, conclui ela.  

veja também