No Rio de Janeiro, reunião de oração pedia o fim da violência

No Rio de Janeiro, reunião de oração pedia o fim da violência

Atualizado: Quinta-feira, 2 Dezembro de 2010 as 8:21

A cidade do Rio de Janeiro (RJ) vivia momentos de tensão quando as Polícias Militar, Civil, Federal e as Forças Armadas decidiram invadir o Complexo do Alemão em resposta a uma onda de ataques orquestrada pelos bandidos, que já durava mais de cinco dias. Enquanto isso, na Catedral Mundial da Fé do Rio de Janeiro, o bispo Darlan Ávila, responsável pelo trabalho evangelístico no estado, e todos os presentes oravam pelo fim da violência. “Não é só projeto social e político que vai mudar essa situação. É o mal que quer essa guerra na cidade e só a fé pode mudar isso, pois quando alguém entrega a vida para Jesus o maligno sai e ela se torna uma pessoa de Deus”, disse o bispo.

Ele orou pelos que possuem parentes envolvidos com o crime, a fim de que o Senhor repreenda todo o mal para que a vida dessas pessoas seja resgatada. “O maligno quer você escravizado, então, ele coloca problemas na sua vida para que você viva em guerra na família, na vida econômica, sentimental, e na saúde. É a violência, o seu filho perdido. Deus sabe o que você está passando e Ele quer te dar a vitória, mas é preciso dedicar toda a sua força para vencer”, ensinou o bispo.

A jovem, Cristiane Santos (foto ao lado de vestido xadrez), de 27 anos, viveu em meio à violência citada pelo bispo. Ela conta que aos 16 anos foi a uma festa em um morro do Rio de Janeiro, a convite de uma amiga e, quando lá chegou, foi surpreendida pelo traficante, chefe do tráfico no morro, que se apaixonou por ela. “Ele gostou de mim e não permitiu que eu saísse mais de lá. Por um ano vivi trancada em uma casa na favela, vigiada pelos bandidos que faziam a segurança dele”, lembra.

Sob ameaças, Cristiane não tinha outra saída a não ser obedecê-lo, foi quando ficou conhecida por todos na comunidade como a mulher do dono da favela. “Eu tinha sob o meu comando o tráfico inteiro daquela região”, relata.

Um dia, ela conseguiu ir até uma Igreja Universal do Reino de Deus, onde foi orientada pelo pastor a buscar em Deus o socorro. Escoltada pelos traficantes, Cristiane voltou para casa determinada a fugir. “Eu consegui escapar. Passei no meio de diversos bandidos armados, sem ser vista e voltei para a casa dos meus pais”, conta.

Mesmo diante da dolorosa experiência, Cristiane, já livre, não queria manter um compromisso sério com Deus e passou a viver uma vida de prostituição; vida que só trouxe mais sofrimento para ela. “Por causa desse modo desregrado, cheguei a levar um tiro na perna e contribuí com a morte de muitos homens, pois todos que se deitavam comigo acabavam morrendo”, afirma.

Cansada de tanto sofrimento, Cristiane se lembrou das palavras de fé proferidas na Igreja e decidiu se converter ao Senhor Jesus de todo o coração; decisão que mudou por completo a vida dela. “Depois que eu retornei à Igreja Universal, fui muito bem recebida, pois cuidaram de mim e fizeram com que eu me sentisse valorizada, amada e acolhida. Hoje, sou feliz e tenho a minha vida completamente diante de Deus. Sou uma jovem realizada, tenho em primeiro lugar o selo do Espírito Santo e faço parte do Força Jovem Brasil do Rio de Janeiro. Hoje, tenho amigos de verdade. Além disso, tenho alegria em fazer parte dessa Obra e sinto uma enorme satisfação de  compartilhar com todos o meu testemunho de vida”, finaliza.

Por Clarisse Werneck

veja também