Nosso papel na Grande Comissão

Nosso papel na Grande Comissão

Atualizado: Sexta-feira, 27 Janeiro de 2012 as 8:57

Muitos de nós permitimos que sementes de dúvidas germinem no solo dos nossos pensamentos e cresçam a ponto de nos sentirmos desanimados ou deprimidos por não vermos de imediato os frutos do nosso trabalho como pregador do evangelho.

Isso acontece porque não entendemos direito qual é o nosso papel na grande comissão. O apóstolo Paulo disse:“Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento vem de Deus”

É preciso compreender que fomos chamados para plantar ou regar, mas nunca para dar o crescimento. O novo nascimento (conversão) é algo sobrenatural – Não temos controle disso. Jesus disse a Nicodemos que o vento sopra onde quer, mas não sabe de onde vem nem para onde vai. Assim é aquele que é nascido do Espírito. Ele estava falando da conversão ou ‘Novo nascimento’. O êxito do pregador na grande comissão está em obedecer no cumprimento da tarefa de plantar ou regar, mas nunca de fazê-lo crescer. Essa tarefa fica só para Ele.

Um dos pregadores mais famoso em toda a escritura foi o justo Noé. Ele ficou conhecido na Bíblia como o ‘pregador da justiça’ (2 Pd. 2.5). Pregou a mensagem de arrependimento por cerca de 120 anos sem nunca desanimar. O mais interessante de tudo é que Noé nunca chegou a ver o fruto do seu trabalho como pregador. Na verdade ninguém nunca se converteu com sua pregação. Que diremos, pois? Que ele fracassou? De maneira alguma. Ele teve êxito de entregar a mensagem com fidelidade até o fim. Mesmo estando ocupado com a construção da arca. Deus o havia chamado para pregar e construir, mas não para converter ninguém. Quando vier o desanimo em seu ministério, lembre-se desse homem.

Conta-se que D. L. Moody sentiu-se desanimado por não ver de imediato os resultados do seu trabalho no início do seu ministério. Até que entendeu este princípio. Como ele mesmo disse: “Deixe os resultados nas mãos de Deus!”. Fomos chamados para ser fiéis e cumprir a tarefa de levar o ’...evangelho a toda criatura’, mas não para salvar toda criatura. Sem dúvida alguma, Deus nunca pedirá que uma pessoa cause a salvação de outra pessoa – Só Jesus Cristo pode fazer isso.

É importante lembrar também que nem todos a quem Jesus pregou ou fez milagre, atendeu o chamado. Basta lembrar do jovem rico (Mc.10.17-22); dos samaritanos (Lc.9.51-56); dos gadarenos (Mt.8.34); dos seus vizinhos (Mc.6.1-6); de seus próprios irmãos (Jo.7.5). Ele mesmo alertou a seus discípulos dizendo: “- Se o mundo vos odeia, sabei que a mim odiou primeiro” (Jo.15.18).

Nem todos a quem o erudito Paulo – apóstolo dos gentios pregou – se converteu. Há alguns, ele quase o persuadiu. ...quase! Mas Pedro (o pescador) no dia de pentecostes pregou apenas ‘um’ sermão e com esse ‘um’ sermão arrebanhou de uma só vez quase três mil almas. Entendeu? ...Quase três mil almas! Mais uma vez digo: - Não temos controle dos resultados. E graças a Deus por isso!

Isso não pode nos desanimar, afinal nem todas as sementes dão frutos, mais precisamos semear todas pra ver qual delas irá frutificar.

Por isso semeie, fale de Jesus sempre que puder e pra quantas pessoas puder e espere em Deus os frutos dessas sementes.

veja também