Número de vítimas de suposto 'pastor pedófilo' chega a 10

Número de vítimas de suposto 'pastor pedófilo' chega a 10

Atualizado: Quarta-feira, 20 Outubro de 2010 as 8:28

Chega a 10 o número de vítimas do "pastor" José Gregório da Silva, de 59 anos, que também era encanador da Sanesul. Além dos dois casos investigados pela DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher), cujas vítimas de 7 e 9 anos são filhas de uma prima do autor, outras oito vítimas do pedófilo já foram identificadas.

Conforme a delegada Sandra Regina Simão de Brito Araújo, algumas vítimas foram citadas durante o depoimento de Silva e outras foram levadas à delegacia por familiares e por conselheiros tutelares.

No total, são 10 crianças e adolescentes que foram molestadas pelo pedófilo. Desses, sete são meninas e três meninos, cujas idades variam de 7 a 14 anos. Apenas um menino, de 12 anos, não tem vínculo familiar com Silva, de acordo com a delegada.

Para a surpresa de todos, cinco vítimas disseram em depoimento que foram molestadas dentro da igreja Deus é Amor, no distrito da Silviolândia, onde o pedófilo diz que era pastor.

Silva foi preso na sexta-feira (08), enquanto trabalhava no bairro Mangabeira. A prisão foi feita pelos investigadores da DAM, Lindomar Pereira da Silva e Silvana Nahban. Assim que os investigadores anunciaram a prisão, o suposto pastor disse que já sabia por que estava sendo preso.

Silva confessou à nossa reportagem que abusava sexualmente das filhas de um primo, de 7 e 9 anos. Com naturalidade, suposto pastor relatou ao Edição de Notícias detalhes impublicáveis das relações sexuais com as primas de segundo grau.

Conforme Silva, as irmãs sofriam abusos há mais de um ano. Quanto à freqüência das relações, o suposto pastor informou que sempre que tinha oportunidade "pegava" as primas. "Enquanto abusava de uma a outra ficava olhando", confessou Silva.

As investigações apontam que o suposto pastor abusou das duas primas. No caso da mais velha, o laudo comprova a conjunção carnal. Segundo Silva, ele nunca ameaçou as meninas, mas procurava agradar, com presentes, inclusive com celulares, "as meninas confiavam em mim porque eu sou pastor", completou.

Os investigadores desconfiam que Silva tenha abusado de outras crianças. Os pais que desconfiarem que seus filhos sofreram abusos sexuais podem procurar a DAM, na avenida General Mendes de Moraes, no Jardim Aeroporto, em Coxim.

Já chegou a 10 o número de vítimas do "pastor" José Gregório da Silva, de 59 anos, que também era encanador da Sanesul. Além dos dois casos investigados pela DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher), cujas vítimas de 7 e 9 anos são filhas de uma prima do autor, outras oito vítimas do pedófilo já foram identificadas.

Conforme a delegada Sandra Regina Simão de Brito Araújo, algumas vítimas foram citadas durante o depoimento de Silva e outras foram levadas à delegacia por familiares e por conselheiros tutelares.

No total, são 10 crianças e adolescentes que foram molestadas pelo pedófilo. Desses, sete são meninas e três meninos, cujas idades variam de 7 a 14 anos. Apenas um menino, de 12 anos, não tem vínculo familiar com Silva, de acordo com a delegada.

Para a surpresa de todos, cinco vítimas disseram em depoimento que foram molestadas dentro da igreja Deus é Amor, no distrito da Silviolândia, onde o pedófilo diz que era pastor.

Silva foi preso na sexta-feira (08), enquanto trabalhava no bairro Mangabeira. A prisão foi feita pelos investigadores da DAM, Lindomar Pereira da Silva e Silvana Nahban. Assim que os investigadores anunciaram a prisão, o suposto pastor disse que já sabia por que estava sendo preso.

Silva confessou à nossa reportagem que abusava sexualmente das filhas de um primo, de 7 e 9 anos. Com naturalidade, suposto pastor relatou ao Edição de Notícias detalhes impublicáveis das relações sexuais com as primas de segundo grau.

Conforme Silva, as irmãs sofriam abusos há mais de um ano. Quanto à freqüência das relações, o suposto pastor informou que sempre que tinha oportunidade “pegava” as primas. "Enquanto abusava de uma a outra ficava olhando", confessou Silva.

As investigações apontam que o suposto pastor abusou das duas primas. No caso da mais velha, o laudo comprova a conjunção carnal. Segundo Silva, ele nunca ameaçou as meninas, mas procurava agradar, com presentes, inclusive com celulares, "as meninas confiavam em mim porque eu sou pastor", completou.

Os investigadores desconfiam que Silva tenha abusado de outras crianças. Os pais que desconfiarem que seus filhos sofreram abusos sexuais podem procurar a DAM, na avenida General Mendes de Moraes, no Jardim Aeroporto, em Coxim.

veja também