O amor tudo espera, a tara sexual não

O amor tudo espera, a tara sexual não

Atualizado: Quarta-feira, 8 Junho de 2011 as 10:19

Pai, o que é sexo? Pergunta o filho de apenas seis anos de idade. Inseguro e sem graça o pai tentou a seguinte resposta: Bem, sexo é sexo! É quando um rio começa a se aproximar da cachoeira, as águas vão ficando com uma velocidade cada vez mais rápida, até explodirem na queda da cachoeira e depois irem diminuindo lentamente o ritmo da correnteza, até se acalmarem. Sexo é mais ou menos isso, entendeu? Não. Respondeu secamente o filho, e completou a angústia de sua dúvida: Pai, tenho que preencher esta fichinha para uma gincana da escola, só quero saber onde faço o "x", no masculino ou no feminino? O pai olhou para o filho, sem palavras, inconformado com sua precipitação.

O pai e o filho desta história nos colocam frente a uma inevitável realidade, a vida toda vamos conviver com perguntas e questionamentos sobre sexo. Parece um tema sem fim. Está nas obras de ficção, nas teses, nas ruas, na Bíblia, nas mentes, nas piadas, nas poesias, nos jornais, nas propagandas, enfim, o tema é diário e num volume que mal conseguimos absorver.

Os apelos para o dia dos namorados são preenchidos invariavelmente com sexo. As lojas de sex-shop devem estar muito bravas com a massiva concorrência, pois de cada dez, nove vitrines dos shoppings e comércios estão decoradas com mensagens visuais carregadas de insinuações sensuais. São comércios e vitrines por onde passam papai, mamãe, vovô, vovó, enfim, famílias. Mas tudo bem, pensam, pois a sociedade já engoliu como normal que namoro com sexo é como pão com manteiga.

Nesta armadilha você só cai se quiser. Um antigo ditado deixa claro o golpe: O homem usa o amor para conseguir sexo e a mulher usa o sexo para conseguir amor. E como isso acontece? Geralmente com a mais manjada das cantadas que se tem notícia: Você precisa provar que me ama. E a tonta da garota, ou malandra mesmo, cai.

As inseguranças, imaturidades e medos da geração atual podem encontrar redenção exatamente na resistência. Eu sei, é difícil. Já tive de resistir, e muito, fácil não foi. Lhe garanto, valeu a pena. Ao negar o sexo no namoro o amor ganha a oportunidade de responder se ele é de fato amor. Afinal o amor, como bem ensinou Paulo em I Coríntios 13, tudo suporta e tudo espera. Mas só o amor, porque a mera tara sexual nada suporta, muito menos espera. E uma tara incontrolável jamais suportará as lutas de um futuro lar e muito menos as exigidas esperas por que passam os sonhos de toda família. Pense nisso, é seu futuro e felicidade.

Toda armadilha é armada para prender um alvo. Resista e evite tal armadilha. Seu futuro lar merece a liberdade do amor com todos os benefícios do afeto e do sexo, da alegria e da paz, do trabalho e da recompensa, do amor com sexo e do sexo com amor.

Paz!

Por: pr. Edmilson Mendes

veja também