“O Espírito Santo me encheu com o amor que procurei toda a minha vida”, diz ex-prostituta

Sariah conta em seu testemunho que passou por abusos sexuais desde a infância e viveu uma vida adulta nos vícios e na prostituição.

fonte: Guiame, com informações do God Reports

Atualizado: Quarta-feira, 16 Dezembro de 2020 as 1:50

Sariah Hastings abandonou a prostituição e hoje trabalha ajudando outras mulheres. (Foto: Reprodução / God Reports)
Sariah Hastings abandonou a prostituição e hoje trabalha ajudando outras mulheres. (Foto: Reprodução / God Reports)

Desde a infância, Sariah Hastings se tornou uma vítima do abuso sexual. Aos 4 anos ela foi molestada por um parente e não sabia a quem se dirigir ou a quem contar, porque quase todos em sua família estavam envolvidos em abuso e perversão.

“Não havia nenhum propósito de eu chegar e dizer que havia algo errado com aquilo ou pedir par alguém me ajudar ou me tirar daquilo porque era tão normal”, ela conta.

Quando Sariah tinha 12 anos, ela foi estuprada por uma gangue em uma festa. Sexo se tornou algo que ela praticou em busca de um amor que não conseguia ter. Em vez de afeto genuíno, ela conta que só sentiu rejeição.

“Eu era conhecida em toda a minha cidade como a vagabunda, a garota que podiam levar ao banheiro e fazer o que quisessem que estaria tudo bem”, diz Sariah.

Aos 18 anos, ela foi recrutada por um cafetão e passou a percorrer as ruas e os estacionamentos de caminhoneiros negociando seu corpo. Uma noite, ela falhou em cumprir sua cota e seu cafetão ameaçou matá-la.

Caminhos

Os cafetões disseram à Sariah que a única maneira de ela sair do “jogo” era a morte ou a prisão, mas por fim a mulher descobriu outra porta de saída quando um conselheiro do centro de gravidez em crise a conduziu por uma oração de salvação.

Ela fugiu e encontrou outro cafetão que a viciou em cocaína e metanfetamina. Seu estilo de vida nos vícios e na prostituição gerou autorrepugnância, o que a levou a se cortar e queimar a pele. Esse comportamento levou-a a ter nojo de si mesma.

“Eu nunca poderia me livrar do cheiro de qualquer homem”, diz ela em um vídeo do 700 Club, contando que tomava banho para tentar ficar “limpa”. A tentativa de limpeza no chuveiro era em vão, pois era sua alma que se sentia manchada.

Extremo

Sariah foi vendida de cafetão para cafetão para cafetão. Durante 17 anos de prostituição, ela atravessou 33 estados.

“Cheguei ao extremo, um ponto em que comecei a tentar cometer suicídio”, lembra a mulher, que engravidou de um segundo filho. Seu cafetão disse a ela para dar o bebê a uma família. Em vez disso, ela fugiu.

“Desta vez seria diferente”, contou ela. “Eu sabia naquele momento que algo precisava mudar e que eu não poderia continuar fazendo a mesma coisa.”

Conselho cristão

Em um centro de recursos para gravidez, Sariah ouviu o Evangelho e fez uma oração com um conselheiro. Naquele dia ela nasceu de novo, entregando sua vida a Jesus.

“Senti um ímpeto como nunca antes que tomou conta do meu corpo”, lembra ela. “Havia um sentimento caloroso e apenas o sentimento mais pacífico e sereno que não consigo nem colocar em palavras. Toda a sensação nojenta de querer constantemente tomar banho e tirar toda essa sensação desagradável do meu corpo, foi literalmente tirado de mim naquele exato momento."

Sariah diz que ela foi instantaneamente libertada de seu vício em metanfetamina.

“Não tinha vontade de fumar”, diz ela. “Aquele foi meu primeiro momento do Espírito Santo simplesmente me enchendo com este amor que eu estive procurando por toda a minha vida.”

Sariah deu à luz um menino em um programa residencial religioso. Ela se arrependeu de seus pecados e perdoou seus algozes.

“Comecei a pedir a Deus que perdoasse os meus pecados”, diz ela. “Jesus me perdoou quando morreu na cruz. Então, se Ele pôde perdoar meus pecados que cometi contra Ele, quem era eu para não ser capaz de perdoar as pessoas que fizeram coisas comigo?”

Sariah brinca com seu filho Noah. (Foto: Reprodução / God Reports)

Sariah hoje trabalha no setor de saúde e mora em uma nova casa com seu filho Noah.

Ela também é assistente de equipe em um abrigo para mulheres, onde paga adiantado, ajudando mulheres a transformar suas vidas por meio do amor de Jesus Cristo.

“Há tanta liberdade em conhecer Jesus”, diz ela. "É incrível. Se você acha que seus pecados são opressores e que nunca será aceito por Jesus Cristo, você precisa saber que nenhum pecado é grande demais para o amor dele.”

veja também