O homem perdeu completamente seu rumo!

O homem perdeu completamente seu rumo!

Atualizado: Terça-feira, 7 Junho de 2011 as 11:47

Uma simples bússola já teve seu tempo de destaque. Era o tempo em que a certeza de um norte bastava, era o tempo do rumo certo, da direção segura. Era, já não é mais, pelo menos no que diz respeito aos direcionamentos que têm motivado os caminhos da nossa sociedade.

Segundo análise do psicanalista Jorge Forbes, o homem perdeu completamente seu rumo na era da globalização. E a este homem ele nomeia de "o homem desbussolado". Em rápidas palavras, ele dá a seguinte explicação para o seu argumento: "O homem está desbussolado porque está sem rumo. Sem norte. Perdeu a razão. A passagem do mundo industrial, ou modernidade, para a globalização, ou pós-modernidade, é a maior responsável por essa desorientação."

Mais que uma opinião, trata-se de uma constatação. Realmente vivemos as consequências decorrentes da queda dos absolutos, que nos tornaram membros de um contexto totalmente fragmentado. Ou seja, para um mesmo assunto várias opções são oferecidas, dentre essas eu escolho aquela que eu acho correta e ponto, ninguém tem nada a ver com isso, afinal é minha vida, meus direitos, minha grana, meu corpo.

Esta realidade abarca todos os setores, tornando a vida uma colcha de retalhos e, tragicamente, eliminando pouco a pouco as boas referências. Sobre isso, Jorge Forbes diz o seguinte: "As identidades eram organizadas verticalmente: a família, a empresa e a política eram pai-orientadas, ou seja, tendiam a um ponto superior ideal. Um dia ser como o pai, chegar a diretoria, representar o país. Na globalização, o laço social se horizontaliza, os ideais se pulverizam. Se antes o problema era: como vou chegar lá? Hoje passou a ser: onde devo ir?"

E sobre "onde devo ir?", existem muitas opções, inclusive para igrejas. Cansei deste pastor, vou experimentar aquele. Aquela igreja tem palmas, esta não. Aquela comunidade é mais antenada, esta parece estacionada na época da Reforma. Hoje estou me sentindo pentecostal. Hoje estou me sentindo tradicional. Amanhã? Bem, amanhã não sei como estarão meus sentimentos e vontades...

Diante deste quadro desorientado, desbussolado, as palavras de Paulo a Timóteo continuam tendo o mesmo peso e valor: "Pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo". 2 Timóteo 4.2a. Este é o tempo da nossa realidade presente. Precisamos proclamar o evangelho de Cristo num mundo pós- moderno. Porém, como fazê-lo?

Entendo que gastar tempo para chegar a uma leitura correta do nosso contexto é fundamental. Nesta leitura temos que identificar todos os pontos de contatos possíveis, pois eles existem. Após muita observação Paulo começou a sua aplicação usando o "deus desconhecido", Atos 17.23, a partir daquilo que era comum para os atenienses Paulo pregou o incomum, Jesus Cristo. Assim é no nosso tempo, pois a pós-modernidade nos proporciona sociedades sedentas por espiritualidade, ética e esperança. Em algum ponto de suas histórias particulares, uns mais cedo, outros mais tarde, todos cansam e se desiludem com tentativas sempre frustradas e, via de regra, incompletas.

A partir deste ponto acredito que podemos começar a construir diálogos consistentes com o homem desbussolado. Se conquistarmos sua atenção e sua confiança de que temos algo relevante a dizer, poderemos devolver-lhe a bússola que aponta a direção do Pai, a bússola que permitirá que este homem caminhe com segurança, convicção e esperança, apesar da escuridão, dos obstáculos, das intempéries. O Salmo 119.105 explica assim esta bússola: "A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho".

Por: Edmilson Ferreira Mendes

veja também