O machado é emprestado

O machado é emprestado

Atualizado: Terça-feira, 13 Novembro de 2012 as 10:20

 

Queridos pastores, missionários e obreiros, é impressionante a forma como Deus cuida dos menores detalhes da vida de seus filhos.
 
Que bom saber que, com Jesus, não há fracasso, é só conversar com ele e incluir nesta conversa seus problemas pessoais, seu trabalho, seu lar, ou qualquer outra dificuldade, para que ele possa transformar, solucionar, resolver. Ele cuida de você não só na igreja, mas também por onde anda, nos perigos que enfrenta.
 
Observemos o texto de 2 Reis 6:1 a7. Vamos encontrar aqui a “Escola de Profetas” que foi o primeiro “Seminário de Teologia” da história, cujo grande desafio foi quando mais alunos vieram a frequentar esta escola a fim de crescerem espiritualmente para melhor realizarem a obra de Deus. Diante desse fato, o lugar ficou pequeno e foi preciso ampliar. Quantas lições maravilhosas tiramos deste texto para nossa vida e nosso ministério.
 
Primeiro, todo ministro tem que ter “visão para a obra do Senhor”. Os filhos dos profetas tinham a visão e a preocupação nas melhorias para o povo. “E disseram os filhos dos profetas a Eliseu: Eis que o lugar em que habitamos diante da tua face, nos é estreito.” (2 Reis 6:1). O objetivo de “crescer” move a obra de Deus. Não estamos nessa obra por uma mera obrigação, mas com uma importante missão. O crescimento espiritual e ministerial não é natural, é necessário ter visão espiritual e desejo de crescer.
 
Segundo, todo ministro tem que ter vontade de trabalhar. “Vamos, pois, até ao Jordão e tomemos de lá, cada um de nós, uma viga, e façamo-nos ali um lugar para habitar.” (2 Reis 6:2). A iniciativa estava ligada à vontade de trabalhar. Não basta ficar esperando, quem fica esperando pelos outros não tem um desejo profundo pela obra. O crescimento espiritual e ministerial não é automático, é preciso ação e determinação para crescer.
 
Terceiro, todo ministro recebe ferramentas de trabalho dado pelo Senhor. “E sucedeu que, derrubando um deles uma viga, o ferro caiu na água; e clamou, e disse: Ai, meu senhor! ele era emprestado.” 2 Reis 6:5. Os nossos dons e talentos são como ferramentas de trabalho, que nos são emprestados para o crescimento da obra de Deus. É preciso sempre vigilância e oração na seara. Um descuido e a queda é fatal. O crescimento espiritual e ministerial não é normal, é sobrenatural, um milagre na vida de quem confia em Deus. O cristão deve crescer confiando humildemente em Deus, sempre e principalmente quando os problemas surgirem.
 
Fazer a vontade de Deus, andar com Deus não significa uma vida, um ministério isento de problemas. Perder o machado significa perder o que de mais importante temos para realizar o plano de Deus, significa perder a capacidade de avançar na vida espiritual, significa perder a esperança, a alegria e o entusiasmo diante dos problemas.
 
Temos defeitos, erros, falhas, e se o cansaço, a fadiga, o desânimo tem atingido sua vida e seu ministério e você não tem mais usado o que Deus te emprestou, o Senhor da Ceifa quer te devolver a ferramenta para que você continue a trabalhar. Ele quer que você confesse onde foi a sua queda, onde foi que você parou, e lhe devolver os dons, e assim continuar a desenvolver seus talentos.
 
Procure lembrar das ferramentas, dos talentos, dos dons, enfim, de tudo o que Deus colocou em suas mãos para usar como instrumentos para a execução de sua obra e que atualmente você perdeu, você  guardou, fechou e lacrou em uma gaveta qualquer.
 
O Senhor Deus está perguntando: “Onde caiu? Onde esmoreceu? O que deu errado? Onde seu projeto fracassou?”
 
Lembre-se que não existe projeto abençoado sem a presença do abençoador.
 
Agora só depende de você! “O homem de Deus jogou o galho fazendo o machado flutuar e disse: Pegue, e o homem estendeu o braço e pegou” (2 Reis 6: 6,7). Basta apenas que você busque. Não tenha medo, pense no que foi feito naquela cruz onde o Senhor Jesus estendeu os braços para você, pense no sacrifício feito em seu favor, livrando você das cadeias do insucesso, da opressão do inimigo e lhe dando nova vida. O Senhor Jesus, o autor da nossa redenção, já estendeu a mão para reerguer a sua vida, para reerguer os seus dons novamente, e você voltar com o mesmo potencial de antes, ou até maior. Ele está dizendo a você: “Pegue. Estenda seus braços e pegue o que Deus está lhe dando”.
 
 
por Pr. Efraim Silvino Teixeira
 

veja também