"O mercado gospel me enoja", desabafa pastor Renato Vargens

"O mercado gospel me enoja", desabafa pastor

Atualizado: Quinta-feira, 2 Agosto de 2012 as 11:32

"Como é que é? R$ 9.000,00 para tocar um música na rádio?", essa foi a pergunta que o pastor Renato Vargens fez a um cantor que lhe contou sobre o contato que fez com uma rádio gospel.

O músico foi atrás de divulgar as músicas de seu CD e descobriu que teria de pagar 9 mil reais para tal.

Abismado, Vargens critica o comportamento que considera comum em rádios seculares, não em rádios evangélicas.

"Caro leitor, sinceramente o chamado mercado gospel me enoja! Confesso que não suporto mais ver a paganização do cristianismo, nem tampouco a comercialização da fé. Para piorar a situação algumas destas  rádios chamadas evangélicas, "cartelizaram" a fé, tocando em seu dial somente as músicas dos artistas contratados por suas gravadoras. Junta-se a isso o fato, que tais rádios incentivam o estrelismo, levando boa parte do povo cristão a uma idolatria velada de seus artistas gospel", desabafa.

No texto publicado em seu blog, ele também critica o 'estrelismo' de alguns cantores.

Leia a publicação na íntegra:

Outro dia, um músico de excelente qualidade técnica me contou que procurou uma famosa e conhecida rádio evangélica no Rio de Janeiro. Ele me disse que foi a rádio com o intuito de apresentar um CD com suas obras. Ao perguntar qual seria a melhor forma de  suas canções fossem tocadas na famosa emissora, ouviu o seguinte por parte do responsável:

"- Primeiramente você precisa pagar R$ 9.000,00, depois disso, gravaremos dois spots de 30 segundos cada para divulgar o seu trabalho. Quanto ao CD, escolheremos uma música e a tocaremos duas vezes por dia, excluindo é claro, o final de semana." 

Como é que é? Eles te cobraram R$ 9.000,00 para tocar um música na rádio, perguntei a ele. 

Pois é, eu até entendo que deva existir por parte da rádio alguns critérios de avaliação quanto as músicas que lhe são trazidas pelos cantores gospel, no entanto, o que eu não entendo, é a Rádio Evangélica cobrar por fora para tocar qualquer canção. Ora, bem sei que essa prática é comum nas  rádios seculares, todavia, reproduzir o mesmo comportamento numa rádio evangélica é absurdo. 

Caro leitor, sinceramente o chamado mercado gospel me enoja!  Confesso que não suporto mais ver a paganização do cristianismo, nem tampouco a comercialização da fé. Para piorar a situação algumas destas  rádios chamadas evangélicas, "cartelizaram" a fé, tocando em seu dial somente as músicas dos artistas contratados por suas gravadoras. Junta-se a isso o fato, que tais rádios incentivam o estrelismo, levando boa parte do povo cristão a uma idolatria velada de seus artistas gospel. Em nome de Deus, cantores e cantoras, envolvidos por uma super-produção exigem tratamento VIP por parte daqueles que o contrataram proporcionando assim o surgimento de uma teologia musical non sense.

Prezado amigo, o Jabá me enoja e o fato de saber que rádios evangélicas cobram verdadeiras fortunas para tocar algumas canções me proporciona repulsa a este purulento e mal-dito movimento gospel.

Leia também:

Homens aprendem a esperar em santidade pela mulher certa

Medalha olímpica e coroa da vida

veja também