"O 'pecado gostoso' é bastante sutil", afirma Roberto Marçal

"O 'pecado gostoso' é bastante sutil", afirma Roberto Marçal

Atualizado: Segunda-feira, 21 Junho de 2010 as 4:55

Um garoto malandro, com um liguajar recheado de gírias, um gingado no andar e a constante busca por conseguir ''pegar'' o maior número de meninas. Esse era o perfil do descontraído ''Marreco'', amigo do não muito diferente ''DuCão''. Apesar de se assemelhar a muitos rapazes dos tempos atuais, esses dois jovens são personagens criados pelo grupo de teatro da Igreja Presbiteriana Nova Jerusalém para uma peça, apresentada no Adorador desse mês de junho, realizado na noite do último sábado, 19, na Igreja Batista Candeias, em Fortaleza (CE). Com o objetivo de orientar os jovens quanto à importância da busca pela santidade em um relacionamento amoroso, a comunidade promoveu essa edição do evento com o tema ''Adoração no Namoro''. A programação contou não somente com a divertida apresentação de artes cênicas, mas também com o Ministério da Louvor e o grupo de dança da IPNJ, além do próprio Louvor Candeias.

Teatro

Entrevistado pelo Guia-me Osvaldo Júnior - que intepreta o ''Marreco'' - falou sobre a criação do personagem e a intenção da peça. Segundo integrante do Ministério de Teatro da Igreja Presbiteriana Nova Jerusalém de Fortaleza, ele mesmo - junto a um de seus parceiros ministeriais - teve a ideia de criar o ''Marreco''. Quando o grupo foi convidado para participar do Adorador, criou-se um roteiro relacionado ao tema da edição e o ''simpático malandro'' foi incluído na história, junto ao seu companheiro ''DuCão''.

''O personagem foi uma ideia nossa. A gente já vinha trabalhando em outra peça, que não era essa, mas o personagem já existia. O Marçal tinha falado conosco, sobre a participação do Ministério de Teatro da nossa Igreja (IPNJ) nesse evento e eu o meu amigo Lucas - que trabalha junto comigo no Teatro da igreja - e colocamos o personagem nessa peça. A gente nunca apresentou essa peça. Ela foi escrita para esse evento, mas a gente tem planos de apresenta-la em outros lugares também'', revelou.

''Malandragem''

Com um cabelo black power, roupas estranhas, uso de neologismos e muitos erros de português no linguajar, ''Marreco'' é um personagem que se poderia ser chamado de alegórico. Osvaldo confessou que a existência deste malandro divertido não quer dizer ele existam muito jovens que sigam esse estilho detalhadamente. Segundo o integrante e criador do grupo, o personagem apenas faz lembrar a existência de um perfil de jovem - dentro e fora das igrejas - que ainda busca sua satisfação em prazeres passageiros e se esquece da santidade. 

''Eu acho que existe gente com a essência do Marreco. Ele é aquele cara 'escrachadão' mesmo... que fala com gírias, que tem todo aquele molejo. O personagem foi criado com a ideia de alguns jovens que realmente agem dessa forma. Atualmente essas pessoas estão principalmente fora das igrejas, mas a gente ainda vê dentro das igrejas também. É uma realidade que a gente ainda enfrenta hoje, que é a falta de santidade no namoro. A gente tem tentado passar essa busca de santidade para a galera não só de fora, mas também de dentro das igrejas. Santidade no namoro, na família, com os amigos, dentro da igreja, onde for'', afirmou.

Necessidade

Apesar de ter se realizado no ''mês dos namorados'', o idealizador do evento lembrou que a temática abordada no último final de semana pelo programa Adorador, está tem uma ligação mais complexa com a juventude que simplesmente uma comemoração. Segundo ele, há uma necessidade das igrejas de orientar os seus jovens em quanto à conduta que eles devem ter em seus relacioamentos amorosos.

''Na realidade, a coisa não estava muito ligada ao dia dos namorados, mas sim a um tema sério que as igrejas precisam abordar... esse é um tema atual. A busca pela santidade não é fácil e santidade nós devemos realmente buscar, porque santo mesmo, só o nosso Deus. Nós temos nos preocupado em abordar isso dentro da nossa igreja, dentro do nosso ministério: a questão da busca da santidade no namoro e para aqueles que não namoram, uma conscientização de que quando estiverem namorando, possam se relacionar diante da potente mão de Deus, dos preceitos dEle, daquilo que Ele coloca na Bíblia'', alertou.

''Pecado Gostoso''?

Em seu depoimento, Marçal lembrou a existência de um perigo que, apesar de frequente, ainda não está bem claro para muitos jovens e orientadores. É o denominado por ele mesmo como ''Pecado Gostoso''. Segundo o líder, esse tipo perigo está em atos que sugerem uma situação prazerosa, porém tal prazer também é passageiro.

''Tem um pecado que pode ser chamado de 'pecado gostoso' e ele é que é o problema. Então na hora do 'pecado gostoso', é importante que venha à luz o que o profeta Isaías fala: 'Busque ao Senhor enquanto se pode achar e O invoque enquanto está perto'. O 'pecado gostoso' é bastante sutil. Já ouvi muitos testemunhos em que as pessoas dizem: 'Quando eu menos percebia, já tinha pecado'. É aquela brecha, deiada por nós e o inimigo vem e faz um estrago. No momento parece ser tudo muito bom, muito gostoso, mas lá na frente estão as consequências, principalmente as espirituais'', lembrou.

Estar na Igreja = livre do pecado?

Quando questionado sobre a relação de se permanecer na Igreja e se manter livre desse perigo antes lembrado, Roberto Marçal afirmou que somente como instituição, a Igreja não mantém as pessoas distantes do pecado, muito menos daqueles mais sutis.

''Estar dentro da Igreja não nos livra desse mal. A Igreja é você mesmo. Ela não é o templo físico. Ela é você, o seu coração com Deus. A partir do momento que você enche os espaços do seu coração com aquilo que vem de Deus, você se fortalece, como diz em Efésios, você sobe na sua torre de vigia, toma o capacete da salvação, a espada do espírito, se fortalece para enfrentar as tentativas do inimigo e ter a vitória, porque com o Senhor você tem vitória'', alertou.

Por João Neto - www.guiame.com.br

veja também