O pecado não compensa

O pecado não compensa

Atualizado: Segunda-feira, 24 Janeiro de 2011 as 4:46

No segundo livro de Samuel capítulos 11 e 12, encontramos a triste história do maior rei que era um homem segundo coração de Deus. Temos a certeza de que ela fez muito sofrer este homem de Deus. Satanás projeta na vida de cada pessoa um plano diabólico que, se não nos dermos por avisados, ele vai cumprir essa projeção, custe o que custar. O homem pode ser grande, como o caso de Naamã: “Naamã era grande homem diante de seu senhor, porém era leproso”. Como foi dito, Davi era homem segundo coração de Deus, porém era pecador. Deus o havia escolhido para ser o rei de Israel, e para escrever os mais lindos e edificantes Salmos.

Entretanto, lamentavelmente, deixou-se seduzir por uma mulher; e como consequência Deus permitiu-lhe que lhe viessem sofrimentos. Seu filho Amon, apaixonou-se pela sua própria irmã Tamar. Como alguém disse com muita sabedoria: “Não podemos evitar que os pássaros sobrevoem a nossa cabeça; porém, o que podemos fazer é evitar que eles façam ninhos sobre a nossa cabeça”.

Esse jovem permitiu que Satanás abrisse uma brecha em sua vida, e na vida de sua própria irmã e família, violentando-a. Diz a narrativa que um primo seu, chamado Jonadabe, foi usado por Satanás para ajudá-lo a levar a efeito este desejo, fingindo-se doente, vindo a enganar o seu próprio pai e a jovem sua irmã, ao pedir-lhe que lhe preparasse uma comida. Após essa violência, o amor que sentia por ela, transformou-se numa grande aversão. E que lhe aconteceu depois, diz a narrativa que o seu próprio irmão que era irmão de Tamar, armou-lhe um estratégia com o objetivo de matá-lo, durante um banquete que ofereceu a todos os seus irmãos.

Tudo isto acarretou mais sofrimento a Davi seu pai. Mas a história não para aqui, pois, seu irmão Absalão, projetou um plano para tomar o reino de seu pai, obrigando-o a fugir com seus ministros; e na batalha foi derrotado vindo a perder a vida. Davi lamentou com muitas lágrimas esta tragédia. Tudo isto é o preço do pecado que o rei cometeu.

Como dissemos inicialmente, Satanás tem um projeto contra cada um de nós. Vale a esta altura citar as palavras do Senhor Jesus: “Vigiai e orai, para que não caiais em tentação”. O apóstolo Pedro fala em uma de suas epístolas dizendo que, o diabo anda ao nosso derredor, bramando como leão, querendo nos devorar. E quantos já caíram nas garras desse inimigo. Quantos já sofreram, e outros continuam amargando o seu descuido, o seu pecado. Por isso, a Bíblia nos previne, exortando-nos a sermos sempre sóbrios, vigilantes. O casamento foi instituído por Deus, e Davi teve mais de uma dezena de mulheres. E não lhe bastavam? Tinha que procurar a mulher de um de seus fiéis soldados? Este tipo de pecado hoje é tão comum que vem trazendo amarguras para muitos lares. Por isso vale a pena lembrar-se das palavras do apóstolo Pedro: “Resisti ao diabo e ele fugirá de vós”. Acontece, porém, que muitas vezes começamos a apreciar a oferta que o inimigo nos dá. Balaão teve uma proposta feita por Balaque, rei de Moabe, para ir até o seu encontro e amaldiçoar o povo de Deus. E a oferta era tentadora, muito dinheiro, muito ouro e muita prata. E este profeta, que havia recebido de Deus a advertência que não fosse, porque estaria lutando contra a vontade de Deus. E qual foi o fim dele? Foi morto à espada.

Ninguém está isento de cometer alguma tragédia, uma vez que o nosso adversário chamado Satanás não dorme. É bom atentarmos para o ensino bíblico e tomarmos como exemplo as lições deixadas pelos profetas de Deus, e não nos esquecermos daqueles que naufragaram na vida pelo seu próprio descuido. O apóstolo João na sua primeira epistola diz: “Não ameis o mundo nem o que no mundo há, pois o mundo passa e as sua concupiscências; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre”. Que esta mensagem sirva a você prezado leitor, e a nós também, para nos ensinar que o pecado não compensa. A vontade de Deus sempre é a melhor escolha que podemos fazer, se quisermos viver bem, e evitar amarguras.

Por: Pr. Timofei Diacov

veja também