O que está por trás do Dia das Bruxas ou Halloween

O que está por trás do Dia das Bruxas ou Halloween

Atualizado: Terça-feira, 1 Novembro de 2011 as 10:24

Gostosuras ou travessuras? Essa é a pergunta que as “pequenas bruxinhas” costumam fazer na noite de Halloween. Sem ideia do significado da brincadeira, muitos investem na comemoração pagã que está relacionada à comunicação com os mortos.

 “As almas dos que já morreram retornam uma vez por ano, durante a noite, para possuir os corpos dos vivos e habitarem neles até a próxima madrugada do dia 31 de outubro” – Esse é o verdadeiro significado da festa que hoje também tem o nome Dia das Bruxas. Através dos cursos de inglês, ela ganhou adeptos no Brasil no final dos anos 80 e, atualmente, também é comemorada pelo comércio, levando milhares de jovens desinformados a praticar rituais malignos.

O Halloween surgiu nos festivais de outono dos celtas, espalhados nas ilhas britânicas e norte da França, entre os anos 600aC e 800dC. No meio dos celtas, existia um grupo considerado classe especial de guerreiros e guardiões de tradições religiosas – eram os sacerdotes druidas. Os druidas eram envolvidos com  magia e  feitiçaria, adoravam a muitos deuses e tinham o sol como sua divindade favorita. Também acreditavam que o ano novo deveria ser comemorado na última noite de outubro, época em que não havia colheita, quando também acontecia a festa oficial do calendário de outono, o festival Samhain. Na língua celta, Samhain significa “fim do verão”. Na samhain, eles adoravam o deus celta dos mortos e príncipe das trevas, capaz de trazer de volta espíritos de todos que morreram naquele ano. Por essa razão, a vigília de samhain era considerada maldita e de azar para os povos.

Fugindo da maldição Acreditando que os espíritos dos mortos possuiriam os corpos dos vivos que vagassem na madrugada daquela noite, os povos faziam uma série de rituais para afugentar os espíritos. Acendiam fogueiras nas Colinas. Nos vilarejos, apagavam as tochas para o local ficar frio e sem vida, e as almas desistissem de circular por lá. Alguns grupos de moradores usavam máscaras e fantasias a fim de assustar os espíritos. Druidas realizam cerimônias com objetivo de apaziguar as almas errantes; faziam magias através do fogo e queimavam vivos os prisioneiros de guerra, criminosos e animais – enquanto observavam os corpos em chamas, diziam ter presságios e avisos. Druidas também acreditavam que seres da natureza como bruxas, fadas e duendes saíam de seus esconderijos nessas datas para prejudicar os vivos – talvez, por isso, hoje a festa tenha forte relação com as bruxas.

Segundo pastor Agissé Levi da Silveira, mestre em Teologia, psicólogo, e pastor presidente da AD em Mafra (SC), essas práticas foram transformadas com o tempo e mendigos passaram a pedir comida em troca de orações por quaisquer membros mortos da família. Ainda nesse contexto, havia na Irlanda a tradição de um homem conduzir uma procissão para angariar oferendas de agricultores, a fim de que suas colheitas não fossem amaldiçoadas por demônios. Uma espécie de chantagem, que deu origem ao Trick or Treat, ou seja, “travessuras ou doces”.

Estou em perigo! Mas quem está preocupado com tudo isso? Nessa época do ano, principalmente nos cursos de inglês, todo mundo quer se divertir com os símbolos do “Dia das Bruxas”. Jovens querem aproveitar a data como desculpa para reunir os amigos e fazer festas. Inclusive, usam acessórios e objetos como colares, amuletos e cristais, que têm significados malignos, só porque acham bonito ou porque está na moda.

Pastor Alberto Alves da Fonseca, especialista em História e Teologia, explica que brincadeira com as trevas põe a vida espiritual em perigo. “Objetos decorativos ou não possuem origem ocultista e uma simbologia das forças das trevas. Os cristãos devem estar atentos para não ostentarem símbolos e amuletos do maligno. O apóstolo João, em sua primeira carta, no capítulo 1 e versículo, 5 declara: ‘E esta é a mensagem que dele ouvimos e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele treva nenhuma’.

Além disso, o dia 31 de outubro é considerado pelos bruxos como um festival que introduz a estação das trevas e, embora a mídia e as escolas de inglês apresentem o Halloween com crianças pedindo doces, essa festa não é nada inocente, mas é explicitamente comprometedora, pagã, maligna e anticristã”, alerta o pastor na AD em Campinas (SP).

Ao se envolver com essas práticas, jovens e adolescentes correm sérios riscos espirituais e sociais, porque estão abrindo espaço para a atuação de forças espirituais das trevas em suas vidas. Para o pastor Levi, os perigos advindos desses ambientes podem ser os mais diversos, entre eles sempre a violência, a iniciação às drogas e o sexo livre e desenfreado.

“Tudo isso é abominável diante de Deus, portanto todo aquele que segue esse caminho está sujeito a perecer, caso Deus não venha a ter misericórdia de sua alma”, afirma, reiterando que todos os jovens que andam ou se envolvem com essas festas ou eventos não têm na Lei do Senhor seu prazer. ‘Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite’. Está escrito em Salmos”, acrescenta o líder.

“Paulo declara em 1Coríntios 10.23: ‘Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam’. Paulo faz essa exortação um versículo antes de declarar: ‘Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e dos demônios’”, conclui pastor Alberto Fonseca.

Conheça o significado dos símbolos Halloween Hallowed - Significa “Noite Santa” ou “All Hallows Eve”, “Noite de Todos os Santos”. Abóbora - Faz parte da lenda irlandesa de Jack-o-lantern. Jack fazia brincadeiras satânicas e trapaceou o Diabo prendendo-o em uma árvore. Só o soltou depois que o Demônio jurou nunca incomodá-lo. Acredita-se que Jack não foi aceito no Céu nem no Inferno e, para ter o seu caminho iluminado, ascendeu uma vela e a colocou acesa dentro de um nabo, com furos para dar passagem à claridade. Hoje as abóboras representam essa história. Vassoura - Usada para varrer as “más energias”. Chapéus pontudos - Símbolos de hierarquia sacerdotal entre as bruxas. Gatos - Eram animais sagrados porque já tinham sido humanos em outras vidas. Acreditava-se que bruxas transferiam seus espíritos para gatos. Morcegos - Tinham a reputação de possuir forças ocultas, pois tinham habilidade de perseguir sua presa no escuro. Acreditava-se que demônios transformavam-se em morcegos. Vela - Nas cores roxa, preta e laranja, indicam os caminhos para os espíritos de outro plano astral.  

veja também