"O que importa é o que a Bíblia diz sobre o que é ser mulher", diz autora sobre o feminismo

Renata Veras alerta as mulheres contra as ideologias pregadas pelo feminismo.

fonte: Guiame

Atualizado: Sexta-feira, 3 Novembro de 2017 as 4:35

Renata Veras é autora do blog cristão Mulheres em Apuros. (Foto: Reprodução).
Renata Veras é autora do blog cristão Mulheres em Apuros. (Foto: Reprodução).

A autora cristã Renata Veras palestrou sobre o tema “A importância do papel da mulher na missão deixada por Jesus à igreja” no Seminário e Instituto Bíblico Maranata (Sibima) em Fortaleza (CE). Ela alertou as mulheres sobre os perigos das ideologias feministas que estão adentrando nas igrejas e como isso pode causar efeitos negativos na comunidade cristã.

“Falar sobre a essência da feminilidade é completamente contracultural, principalmente nos tempos pós-modernos que a gente vive. Se a gente olha para Simone de Beauvoir, em 1949 quando ela escreveu 'O Segundo Sexo', um dos livros que impulsionou a segunda onda do feminismo, e ela zomba dessa ideia de existir uma essência feminina eterna, um paradigma feminino que deva ser observado por todas as mulheres”, comentou Renata.

“Falar, hoje em dia, é muito mais complicado nos tempos  de ideologia de gênero. A gente tem a Judith Butler, onde ela vai zombar dessa ideia de insistir no feminino. Não existe homem, não existe mulher. O que é existe é o que você quiser ser. Então, quando a gente chega e diz que existe uma essência e quem determina ela é o Criador, a gente parece meio careta, não é?”, indagou para os presentes.

“Para as pessoas que hoje em dia que não entendem e não confiam na suficiência, não aceitam as doutrinas mais básicas das Escrituras. Então, o que importa para nós hoje é o que a Bíblia diz. Independente das nossas dificuldades, diferenças e impressões. O que importa realmente o que a Bíblia diz sobre o que é ser mulher. Mesmo que isso vá ser muito diferente do que muitos dizem ai, não apenas no feminismo, mas em uma onda que é muito prejudicial e que sutilmente vai deixando a sua marca, até mesmo na igreja, é o feminismo evangélico”, ressalta.

Renata diz que o chamado feminismo evangélico tenta “reinterpretar os textos que são difíceis, que a gente não tem para onde correr, dá um jeitinho para condizer com essa ideia maior de que homens e mulheres são absolutamente iguais. E essa não é a verdade das Escrituras”, declarou.

“Homem e mulher não são iguais em ministério específico, em missão geral sim, mas em ministério específico não. Deus criou as coisas na sua multiforme sabedoria, criou o homem e mulher de forma distinta e ele deseja usar essas diferenças em uma harmonia e cooperação complementar para honra e glória do nosso Senhor”, colocou.

Confira a palestra completa:

veja também