O segredo do louvor da meia-noite

O segredo do louvor da meia-noite

Atualizado: Segunda-feira, 13 Dezembro de 2010 as 2:37

"Pela meia-noite Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus enquanto os presos os escutavam. De repente houve um tão grande terremoto, que foram abalados os alicerces do cárcere, e logo se abriram todas as portas e foram soltos os grilhões de todos os presos " (At 16: 25, 26).

Há momentos na vida que, apesar de estarmos na presença de Deus, buscando servi-lo em santidade e temor, nos deparamos com lutas, frustrações e perdas. Aos olhos naturais alguns poderão pensar em afastamento do Senhor; outros certamente  ouvirão da multidão a seguinte pergunta: “Onde está o teu Deus? Ele não vê o teu sofrimento?” .

Muitos de nós já vivenciamos  essa amarga experiência de “meia-noite” espiritual (provações, angústias, dificuldades), onde aparentemente estamos abandonados e tudo parece dar errado para nós. Por  vezes nos sentimos injustiçados, como se Deus não se importasse com nosso sofrimento, e uma pergunta ecoa em nosso coração: “Mas, por quê Senhor estou passando tanta provação se sou teu servo?”

Paulo e Silas haviam sido açoitados, lançados na prisão imediatamente após terem feito a vontade de Deus. Aos olhos humanos teria sido uma injustiça; ao invés disso, deveriam ter recebido o reconhecimento da sociedade da época, e principalmente de Deus.

Após a visão sobrenatural, em que um varão rogava para que fosse à Macedônia ajudá-los (At 16: 9), Paulo prontamente atendeu ao chamado. Nesta viagem missionária ele teve a oportunidade de tanto pregar a Palavra de Deus e realizar batismos (At 16: 13- 15), quanto libertar uma jovem de um espírito de adivinhação (At 16: 17, 18). Estavam cumprindo o propósito de Deus.

O mundo está imerso em cobiça e desejo pelo lucro fácil. Satanás cegou o entendimento dos homens, para que esses cometam todo o tipo de coisa que contrarie os preceitos do Reino de Deus, por isso incitou àquelas pessoas a maltratarem e prenderem os servos de Deus, visto que eles prejudicaram seu intento maligno.

A maioria das pessoas, em circunstâncias semelhantes teria murmurado e se queixado, mas, ao invés disso, oravam e cantavam louvores a Deus em voz alta, dando testemunho diante dos outros presos da sua confiança no Deus a quem serviam. Certamente conheciam a Escritura que diz:

Porquanto, ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento, as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e os currais não haja vacas, todavia, eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação. Jeová, o Senhor, é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas (Hb 3: 17- 19).

Eles estavam exultantes pela injustiça e desgraça que estavam passando? Não! Eles não eram alienados! Eles confiaram na fidelidade de Deus, que promete em Sua Palavra transformar a situação adversa de seus filhos fiéis em possibilidades reais de transpor obstáculos. Ele literalmente nos faz “andar sobre nossas alturas”; aquilo que é impossível aos olhos naturais de ser transformado ou conquistado.

Paulo e Silas conheciam o segredo do louvor da meia-noite, ou seja, quando aparentemente tudo está perdido; por isso experimentaram o mover sobrenatural de Deus em suas vidas. Como resultado, o louvor abalou literalmente os alicerces da prisão, e as cadeias, tanto naturais, quanto infernais foram quebradas. Louvar e exaltar a Deus quando tudo está bem é muito fácil, e até natural. Precisamos aplicar esse maravilhoso segredo em nossa vida quando tudo parece perdido.

Por mais de uma vez em minha vida pude por em prática “o segredo do louvor da meia-noite”, e garanto que, por mais difícil que possa parecer ele é real. Vivi situações, que hoje ao olhar para trás, não consigo imaginar como foram superadas. As pessoas deviam achar que eu estava alienada ou louca. Mas eu cria firmemente na Palavra de Deus e em suas promessas, por isso, independente do que era aparente, eu orava (não chorando) e louvava a Deus recitando os textos da Bíblia em que Ele falava sobre o que eu estava passando, e o que Ele prometia que faria a respeito.

O Senhor me dizia em Jeremias 1:12 que velava por Sua Palavra para a cumprir, então, eu não precisava de mais nada. Sua fidelidade em relação às Suas promessas já era suficiente. Como resultado obtive vitórias em cada tribulação que passei. Experimentei curas, suprimento financeiro, restauração de casamento, entre outras bênçãos espirituais.

Não abro mão de louvar e exaltar a esse Deus maravilhoso e Todo-Poderoso que nos ama, mesmo quando somos falhos; e que transforma o amor, que para nós é um sentimento, em ação prática em benefício de Seus filhos. Nosso Deus e Pai, que “amou o mundo de tal maneira que deu seu único filho, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3: 16).

O “segredo do louvor da meia-noite” está a nossa disposição como arma de guerra. Deus deseja que seus filhos sejam vencedores em todas as circunstâncias, usando “as armas da milícia, que não são carnais [físicas], mas poderosas em Deus para a destruição das fortalezas” (2 Co 10: 4).

Mônica Valentim é pedagoga, com expecialização em Orientação Educacional e Profissional; pós- graduada em Psicomotricidade. Possui especialização em Modificabilidade Cognitiva PEI- Nível I, Jerusalém, Israel. Bacharelanda em Teologia.  

veja também