"O segredo é nunca desistir", diz jovem missionário americano

"O segredo é nunca desistir", diz jovem missionário americano

Atualizado: Segunda-feira, 6 Dezembro de 2010 as 6

"Não desista antes de começar, não desista depois de começar e não desista depois de alcançar o objetivo; o segredo é nunca desistir". Foi assim que o missionário de jovens, Taylor Barringer (EUA) começou sua palestra, simples e rápida, porém direta, no último dia 3/12, para mais de 300 jovens e adolescentes, no Conexão 2010. Com o tema "Para que Todos Vejam", o Congresso de Jovens e Adolescentes foi promovido pela Comunidade Cristã Videira de Fortaleza (CE), com encontros nos dias 2, 3 e 4 de dezembro.

Com a abertura da Banda A13 e o comando de Lucas Costa (preletor da noite passada e pastor dos jovens da Comunidade Cristã Videira de Fortaleza), a noite de 3 de dezembro contou com duas palestras: a do norte-americano Taylor Barringer e do Pr. Rafael Elian (voluntário da Igreja Batista da Pompéia, em SP).

Ao iniciar sua pregação, o jovem missionário Taylor Barringer, lembrou a importância de se investir no crescimento espiritual pelo amadurecimento dos dons e talentos individuais, mesmo que isso exija que o jovem corra "certos riscos". Ao ler a passagem de Mateus 25:25-30, na qual Jesus fala sobre um senhor que distribuiu talentos (moeda da época) a seus servos, o preletor chama a atenção para o servo que enterrou os dinheiro e o devolveu intacto para o seu mestre.

"Uau! O cara não perdeu o dinheiro / talento / habilidade. Ele, na verdade, devolveu do jeitinho que recebeu. Estava 'perfeito'. 'Está aqui, novinho! Pegue-o'. Mas o mestre não queria que ele simplesmente o guardasse e o deixasse daquele jeito. Sim! Vocês e eu somos chamados para crescer! Se o servo chegasse ao mestre e dissesse: 'Me desculpe, eu perdi o dinheiro. Eu dei o melhor de mim', o mestre diria: 'Não se preocupe! Aqui está. Tome mais'. Mas este servo estava com medo de ir e fazer o que o mestre o chamou para fazer, então foi condenado ao inferno. Eu acredito nisso", alertou.

Diversidade

Respeitar a variedade de dons e talentos, com suas mais diversas e inusitadas características foi outro ponto abordado por Taylor em sua palestra. Segundo o missionário, é preciso lembrar que Deus criou os seres humanos com habilidades específicas, porém o diabo quer que as pessoas não acreditem nisso, que não aceitem as diversidades e desistam antes de começar qualquer ministério.

"Em salmos, a Biblia diz que vocês foram criados maravilhosamente bem, sem nenhum erro. Você tem um talento. Você tem habilidade. É para o propósito de Deus, mas o que o inimigo quer fazer é com que você acredite que não tem valor. Ele quer que você pare, desista, antes mesmo de começar. Então eu te digo: 'Não desista", lembrou.

Complementando essa linha de raciocínio, Taylor usou a história de Davi como exemplo de que mesmo que não esteja tão evidente, algo que pareça defeitos podem ser na verdade diferenciais para o ministério de cada um.

"Antes de ser famoso, Davi era obcecado por gigantes e, de algum modo ele chega ao palácio do rei, na presença do rei - ele teve coragem de ir lá - e convence o 'presidente' [rei] do país dele que ele é o cara certo para aquele trabalho. O 'presidente' diz: 'Está certo, mas...'. Ele queria mudar quem Davi realmente era. O mundo pode te dizer: 'É! Vai fundo, mas faça deste jeito', quando na verdade você é chamado para fazer aquilo de um jeito específico, de um jeito para o qual você foi criado. Davi era pequeno, mas muito ágil. Quem é você? Talvez você seja baixinho, talvez seja alto. Mas eu sou chamado para operar do jeito que eu sou", concluiu.

Persistência

Em entrevista exclusiva ao Guia-me, Taylor lembrou que jovens e adolescentes cristãos devem ser apoiados por seus líderes. Ao ser questionado sobre a constante pressão - vinda de quase todos os lados - que essa nova geração sofre constantemente em relação a suas habilidades, dons e talentos, Taylor lembrou o poder e a importância da Igreja como apoio para os que ainda estão amadurecendo sua espiritualidade e seus ministérios.

"O mundo / o inimigo quer que eles [jovens e adolescentes] desistam agora. É mais difícil ser um adolescente hoje do que antes. E por isso que eu acredito que seja necessário que haja uma boa igreja na cidade, que possa criar um lugar para os adolescentes. Uma igreja que traga propósito, esperança um futuro claro para a vida deles. Eu acredito que está na Igreja, o lugar onde todos nós encontramos o nosso propósito, o melhor. A gente pode encontrar de outras formas, mas é na Igreja que isso se torna claro de forma de mais rápida e é na Igreja que nós vemos grandes homens de negócios, os melhores músicos... É um propósito que Deus tem colocado. É por isso que eu acredito que o inimigo vai contra eles, logo no início. Se você não tem propósito, não consegue", afirmou.

Originalidade

Falando sobre a a importância do jovem valorizar as suas qualidades individuais como diferenciais em seu futuro ministério e espiritualidade, Taylor lembrou a importância de que haja alguém que sirva como referência para os mais novos dentro da Igreja. Um pastor de jovens ou um lider que possa ajudar os mais novos a descobrirem sua própria personalidade e como usa-la em seus ministério.

"Eu acredito que Davi sabia o propósito dele, porque ele gastava muito tempo o Senhor, muito tempo. Ele sabia que não era certo tentar fingir ser alguém que ele não era de verdade. Eu acredito que geração mais nova precisa ter uma referência, alguém que seja como uma referência, como o Pr. Lucas é aqui na Comunidade Videira, mas em igrejas diferentes, para que ajudem os jovens a definirem que eles são. Então deve ser dito como na mensagem do Pr. Lucas: 'Seja você mesmo! Não seja outra pessoa'. Mas é difícil. É por isso que estamos perdendo vários adolescentes. Nós precisamos lutar", alertou.

Apesar de citar o líder / pastor de jovens como importante ferramenta de Deus para que a nova geração se encontre em relação à sua maturidade espiritual, Taylor lembrou que deve ser uma referência, sim, mas sempre apontando para o referencial maior, que é Deus.

"Paulo diz: 'Me siga como eu sigo a Cristo'. Eu acredito no falar em línguas. O modo como eu aprendi, foi com o meu pastor dizendo: 'me copie'; quando o meu pastor orava comigo, ele me dizia isso e, no decorrer de vários anos - na época eu tinha seis anos de idade - eu 'achei a minha voz'. Então, aquela foi a referência que me ajudou a achar 'a minha própria voz'. Ele não disse : 'Faça deste jeito, porque este é o único modo de se fazer'. Ele disse: 'Me siga e aí Deus vai te mostrar", lembrou.

Por João Neto - www.guiame.com.br

veja também