Obama apoia construção de templo mulçumano

Obama apoia construção de templo mulçumano

Atualizado: Segunda-feira, 16 Agosto de 2010 as 10:20

O Presidente Obama declarou seu apoio a um local de culto mulçumano após meses de debates acalorados acerca do projeto de uma mesquita e centro comunitário próximo ao local dos ataques de 11 de setembro.“Permita-me ser claro. Como um cidadão e como presidente, eu acredito que os Mulçumanos têm o mesmo direito de praticar a religião deles como qualquer outra pessoa neste país,” disse ele sob aplausos da Casa Branca. “E isso inclui o direito de construir um local de adoração e um centro comunitário na propriedade privada da baixa Manhattan, de acordo com as leis locais e regras.”

Os mulçumanos americanos estão construindo um centro comunitário e uma mesquita a duas quadras do marco zero onde cerca de 3 mil pessoas morreram nos ataques terrorista de 2001.O Imã Feisal Abdul Rauf que criou o grupo Mulçumano de alcance, a Iniciativa Córdoba, está comandando o projetoe acredita que a construção faz parte de um esforço para promover a tolerância e o melhoramento das relações Mulçumanas ocidentais.

Alguns líderes religiosos, inclusive o Concílio Nacional de Igrejas, têm lançado seu apoio por trás do projeto de U$ 100 milhões, obrigando respeito aos vizinhos Mulçumanos e pela liberdade religiosa.

Rick A. Lazio, um candidato Republicano ao governo de Nova Iorque, tem questionado, no entanto, que isto não é matéria de religião.“Com 100 mesquitas na cidade de Nova Iorque, isso não é questão de religião, mas de precaução e segurança,” disse ele em uma declaração.

Opositores têm protestado fortemente contra o projeto, chamando-o de insensível e ofensivo às vítimas dos ataques. Alguns líderes cristãos conservativos, incluindo Richard Land da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa da Convenção Batista do Sul, têm argumentado que a mesquita e o centro comunitário não devem ser construídos tão próximos ao marco zero.Outros têm se convencido de que o projeto é uma declaração política ou um “monumento vitorioso” em alusão ao domínio mulçumano na América.

Enquanto reconhecendo o trauma e a sensibilidade em torno do 11/09, Obama impeliu os norte-americanos a lembrarem contra quem eles estão lutando e pelo que eles estão lutando.“Nossos inimigos não respeitam liberdade religiosa,” disse ele “a causa da Al Qaeda não é o Islã - é uma tosca distorção do Islamismo, estes não são líderes religiosos – eles são terroristas que assassinam homens, mulheres e crianças inocentes.” De fato a Al Qaeda tem matado mais Mulçumanos que povos de outras religiões e esta lista de vítimas incluem Mulçumanos inocentes que foram mortos no 11 de setembro.”

veja também