Obediência - Coluna Erasmo Miranda

Obediência - Coluna Erasmo Miranda

Atualizado: Quarta-feira, 29 Abril de 2009 as 12

"Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia nos dá hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; e não nos induzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém" (Mateus 6:9-13).

Leia: (Isaías 9, Salmo 145 e João 9)

"Venha o Teu reino, seja feita a Tua vontade, assim na terra como no céu": Como profetizou Isaías, o Reino de Deus encontra-se presente no mundo, desde o cumprimento da promessa da vinda do Messias, dando assim uma nova opção para aqueles que vivem em meio às trevas: "O povo que andava em trevas, viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz". "Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o Seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz" (Isaías 9: 2 e 6).

Bem sabemos que, não só o Reino de Deus está presente, mas também, o reino das trevas. Muitos se enganam pensando que existe uma posição de neutralidade em meio a este conflito, o que é mentira. Visto que, se não nos submetemos às autoridades do Reino de Deus, automaticamente estamos sobre o controle do reino das trevas, mesmo inconscientemente. Muitos querem gozar dos benefícios do Reino de Deus, ainda aqui neste mundo. Mas isto, só se faz possível quando assumimos um compromisso com a vontade soberana deste Reino. Não nos deixando vencer pela nossa vontade, nem pela vontade do mundo, e, nem pela vontade das trevas, seguindo assim o exemplo do Rei Jesus, que cumpriu com as ordenanças do Reino de Deus: "Porque EU desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas à vontade DAQUELE que ME enviou. E a vontade do Pai que ME enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que ME deu se perca, mas que o ressuscite no último dia. Porquanto à vontade DAQUELE que ME enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê NELE, tenha a vida eterna; e EU o ressuscitarei no último dia" (João 6:38-40).

Somos embaixadores do Reino de Deus neste mundo, e como tais, nos deleitamos em fazer a Vontade do Pai: "Deleito-me em fazer a Tua vontade, ó Deus meu; sim, a Tua lei está dentro do meu coração" (Salmo 40:8). Desta forma, gozaremos da bondade do Senhor, todos os dias das nossas vidas. Pois, se assim não fosse, pereceríamos em meio à escuridão: "Pereceria sem dúvida, se não cresse que veria a bondade do SENHOR na terra dos viventes" (Salmo 27:13). Todo este ambiente de: "amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança" (Gálatas 5:22), é peculiar para todos os participantes deste Reino; pois nele, contamos com a presença do Pai, que tem prazer em cuidar de nós; porque temos prazer em guardar os mandamentos de Cristo, obedecendo-os em amor; para que em tudo sejamos sujeitos a Ele.

Amados, onde o Pai se faz presente, é como se fosse um pedaço do céu; sendo assim, posso afirmar com certeza, que se nós nos submetermos a Sua Vontade, atrairemos a Sua Santa Presença para o nosso meio, e poderemos gozar das bênçãos celestiais, como se o céu descesse até nós. O contrário disto, a ausência do Pai, coisa que acontece quando teimamos em fazer a nossa própria vontade, ou em andarmos segundo o padrão do mundo, conforme as leis de seu príncipe; ou seja, quando agimos assim, seria como dizer para o Pai: "Nós não queremos que o Senhor faça parte das nossas vidas!"; com isso, corremos o risco de vivermos um inferno neste mundo; pois, o maior sofrimento do inferno, é a ausência do Pai; porque lá Ele não poderá estar, porque Ele é Santo, e a santidade convém a Sua casa.

Pense: "Ora, nós sabemos que Deus não ouve a pecadores; mas, se alguém é temente a Deus, e faz a Sua Vontade, a esse ouve" (João 9:31).

Ore: SENHOR, que eu possa viver a cada dia neste mundo, me comportando como Teu filho, em obediência aos Teus mandamentos, assumindo o propósito que Tu me reservastes, o qual é, anunciar as boas novas de salvação a todos que necessitam; tornando assim, o nome de Jesus grande através do meu testemunho, para que as tendas do Teu Reino possam expandir-se, alcançando novos súditos; os quais terão prazer, assim como eu, de se submeterem a Sua Vontade Soberana; no poder do Espírito Santo, para glória de Deus Pai, em nome de Jesus; amém.

Erasmo Miranda de Araújo é presbítero e trabalha nos ministérios de Ação Social e Ensino.

Contato:

http://www.portalestilo.com.br/madruga   

[email protected]

veja também