Ofensa: Pastor publica nota contra campanha de ateus em Salvador

Ofensa: Pastor publica nota contra campanha de ateus em Salvador

Atualizado: Segunda-feira, 13 Dezembro de 2010 as 9:32

O pastor Daniel Bomfim utilizou a internet para protestar contra a campanha da Associação de Ateus e Agnósticos em Salvador, Bahia. Segundo o líder, são “graves e injustas ofensas contra os cristãos”.

A campanha é internacional, foi lançada em Londres em 2009, passou por EUA e Espanha, e, entre outras ações, fixa cartazes em meios de transporte público com imagens como a de Charles Chaplin e Adolf Hitler, e frases como “Religião não define caráter”. Em outro cartaz, a frase é: “A fé não dá respostas. Ela só impede perguntas”. No Brasil, além da capital baiana (com cinco ônibus com cartazes) também será exibida em Porto Alegre (em dez ônibus), por um mês, a partir de segunda-feira, 13. Em São Paulo, a organização responsável por distribuição de publicidade no metrô se recusou a fazer o trabalho. A empresa de publicidade que fez os anúncios foi a Agência Elefantte, com sede na cidade de Montes Claros, Minas Gerais. Na Itália e Austrália, a iniciativa não foi permitida. Leia a seguir a íntegra da Nota de Repúdio.

“Venho em público manifestar o meu veemente repúdio contra as graves e injustas ofensas contra os cristãos católicos, protestantes e todos aqueles que creem em Deus na cidade do Salvador, com a veiculação dos anúncios da ATEA (Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos) nos ônibus da cidade.

“Ações como esta ferem de forma grave as relações de cordialidade e respeito às diferenças de culto e de crença que se estabeleceram numa cidade tão marcada pelo sincretismo religioso.

“É lamentável que os meios de comunicação abram seus espaços para campanhas como esta que coloca em cheque os princípios basilares do Estado Democrático de Direito.

“Paz sobre Salvador

“Pr. Daniel Bomfim.”

Segundo a entidade que tomou a iniciativa da campanha, o objetivo não é de “provocar uma descrença em massa, mas sim de lutar pela igualdade de opinião e pela aceitação na sociedade daqueles que não creem em uma entidade superior”.

veja também