Oficina G3 e Fernandinho celebram a variedade musical durante o Crente Music, em Fortaleza 40CE41

Oficina G3 e Fernandinho celebram a variedade musical durante o Crente Music, em Fortaleza 40CE41

Atualizado: Segunda-feira, 16 Novembro de 2009 as 12

Por João Neto - www.guiame.com.br

As noites do último fim de semana, 13 e 14 foram marcadas por um total de 10 horas de música e ministração da Palavra, em Fortaleza (CE). Conhecido por reunir diferentes estilos musicais em um só evento e preletores de destaque nacional, o Crente Music Festival realizou sua segunda edição com a participação de Fernandinho, Oficina G3, Voz da Verdade e Kleber Lucas, além da pregação do Pr. Marco Feliciano.

Em entrevista exclusiva ao Portal Guia-me, o cantor Fernandinho e a banda Oficina G3 falaram sobre a sensação de cantar e serem acompanhados por aproximadamente 7 mil jovens em suas músicas. Satisfação em ser usado por Deus foi um dos sentimentos em comum demonstrados pelos artistas convidados para a noite de sexta-feira (13/11).

Encarregado de abrir a noite de sexta, Fernandinho afirmou que fazer as pessoas cantarem e, muitas vezes silenciar para ouvi-las é exatamente a função dele. Quando indagado sobre seus sentimentos ao ver tantos jovens envolvidos por suas canções, o músico também aproveitou para lembrar a diferença entre um cantor e um ministro.

''Na verdade, eu não sou melhor que ninguém, mas é diferente você ser um cantor e ser um ministro. Não é por sermos ministros que somos melhores que os cantores. Para Deus somos todos iguais, mas é que o papel do ministro é desaparecer e fazer com que Deus tenha um contato direto com as pessoas. Então a minha função é simplesmente entrar, chamar um pouco a atenção e chegar a um momento no qual eu deixe que as pessoas 'se virem' com Deus. Sou um mero instrumento'', assegurou.

Nova História

Cantando músicas de seu último álbum ''Uma Nova História'', Fernandinho ressaltou o motivo do título deste trabalho. Segundo o ministro, o CD fala sobre a importância de reconhecer que Deus tem um plano na vida de cada um, mesmo que as circunstâncias não demonstrem isso. ''Esse CD fala de encorajamento. Fala para todas as pessoas que acham que pelas situações que elas estejam vivendo, possam estar no final de tudo. Deus sempre tem algo a mais que os nossos limites'', afirmou.

Bons resultados

Para o renomado grupo de rock Oficina G3, subir ao palco e ver tantos jovens se expressando com suas músicas é algo que corresponde a uma das expectativas dos integrantes. Segundo o vocalista Mauro Henrique, este é um bom termômetro para "medir" o sucesso da banda e o resultado tem alegrado os integrantes do grupo.

''Fico sem palavras. Quando você está trabalhando, fazendo as músicas, orando, recebendo de Deus, você quer ver o resultado disso e ele está aí. Esse é um dos resultados do trabalho do Oficina. A galera está cantando as músicas. O D.D.G [''Depois da Guerra''] está sendo um sucesso entre a galera, a gente está muito feliz e tem que agradecer a Deus por tudo isso'', festejou o integrante.

Cuidados

A potência e o timbre vocal  de Mauro Henrique têm impressionado os ouvintes do Oficina G3 e recebem cada vez mais aprovação, não somente daqueles que acompanham a banda em sua trajetória, mas também dos que estão conhecendo o grupo por este último trabalho. Nos shows, o vocalista não decepciona e mostra que corresponde bem à performance que uma banda de rock exige em suas apresentações. Quando indagado sobre como era possível conseguir tanto de sua voz, o integrante afirmou que isso é fruto de muita dedicação, estudo e descanso também.

''É até engraçado porque eu estava comentando com Juninho ainda agora, depois do show: 'Hoje rolou legal! A minha voz foi bem do início ao fim. Não estou cansado, falando normalmente'. Descansar para mim é fundamental. Hoje eu percebi isso na íntegra. Não comer antes do show também é muito importante. Ontem a gente fez um show em Floripa, eu comi antes e isso acabou um pouco com a minha respiração durante o show. É muito esquisito. Mas normalmente eu tento aquecer bem a voz antes de cantar'', lembrou. Fotos: Felipe Martins / Ramon Weslley

veja também