Orando sem rodeios - Coluna Erasmo Miranda

Orando sem rodeios - Coluna Erasmo Miranda

Atualizado: Terça-feira, 14 Abril de 2009 as 12

"E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente. E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos" (Mateus 6:5-9).

Leia: 2º Crônicas 7, 2ª Coríntios 1 e Tiago 5

Orar é o ato de comunicar-se através da fala, que aliada as outras técnicas, transmite informações para uma ou mais pessoas.

A comunicação, seja ela verbal, não-verbal ou mediada, dá-se de forma bilateral, ou seja, é obrigatório a participação de dois ou mais elementos em todo este processo de transmissão de informações para que ela venha acontecer; configurando assim, o surgimento de dois elementos básicos: "Emissor e Receptor". O emissor é aquele que transmite a mensagem para o receptor, que portanto, é aquele que recebe a mensagem, podendo o papel dos dois inverterem-se em meio a todo processo de comunicação. Para a transmissão da mensagem, ou informação, faz-se necessária a utilização de um código, o qual deverá ser comum para todos, procurando desta forma, evitar as barreiras na comunicação. O mesmo deverá ser escolhido respeitando-se as particularidades de cada elemento participante do processo, para que assim, o objetivo seja alcançado, que é a compreensão da mensagem transmitida. Uma vez que entendemos a importância de todas estas regras, no processo de uma boa comunicação; poderemos ter, uma melhor compreensão desta passagem bíblica, onde nosso Mestre ensina sobre como nós devemos nos portar quando estivermos nos dirigindo ao Pai em oração, para não nos tornarmos subjetivos.

Antes de Jesus falar sobre como devemos orar, Ele discorre um pouco sobre a oração que não agrada ao Pai, a qual devemos evitar, por ela está totalmente fora do padrão da boa comunicação. Quando estivermos transmitindo a nossa mensagem, através da fala, temos que ser autênticos, expressando o que se passa com a nossa vida, compartilhando das nossas experiências, visando acrescentar algum valor ao conhecimento daqueles que nos ouvem. Deixando bem claro quais são as nossas carências, para que o nosso conhecimento também seja acrescentado. Resumindo, não podemos ser hipócritas, como nos exorta o verso 5. Com isso, conseguiremos focar a nossa mensagem, por meio da oração, em quem poderá corresponder os nossos anseios. Identificando quem é o nosso real receptor, que nesta passagem, é o próprio Deus, nosso Pai Eterno, conforme o verso 6. Isto tudo contribuirá para escolha do código certo na comunicação das nossas informações, deixando de lado os rodeios, os quais não nos levam para lugar nenhum, mas demonstram somente todo o nosso egôcentrismo, o que é repudiado pelo Pai conforme os versos 7 e 8. Desta forma, não nos deixaremos atrapalhar pelas circunstâncias ao nosso redor, para que, a mensagem possa ser compreendida, entre todos os participantes, resultando assim numa boa comunicação, a qual nos favorecerá para que possamos alcançar os nossos objetivos, visto que, além de querermos ser ouvidos, demonstramos também que estamos dispostos a ouvir a voz de Deus, passando de um emissor para um receptor; acatando com humildade Suas determinações para as nossas vidas.

Amados, devemos estar primando sempre pelo bom relacionamento com todos ao nosso redor, principalmente para com o Senhor. Procurando ao máximo a transparência em toda nossa forma de viver, agindo com simplicidade na nossa comunicação, mostranto o que verdadeiramente somos. E assim, evitaremos fazer conceções, pois teremos a plena certeza de quem poderá satisfazer os nossos anseios, e quando tivermos de dizer sim, diremos sim. Mas, quando for não, diremos não, preocupando-nos acima de tudo, agradar a Deus: "Porque todas quantas promessas há de Deus, são NELE, em Cristo, sim, e por Ele o Amém, para glória de Deus por nós" (2ª Coríntios 1:20).

Desta forma, teremos sempre a plena certeza de fé, que o nosso Pai que está nos céus, nos ouvirá, visto que todas as barreiras de comunicação, não resistirão ao poder que habita em Jesus Cristo; o qual, por conseqüência de guardarmos os Seus mandamentos, habita também em nós, pelo poder do Espírito Santo; amém.

Pense: "E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra" (2º Crônicas 7:14).

Ore: SENHOR, quero sempre estar apresentando diante de Ti todas as minhas necessidades. Reconhecendo sempre que a Ti pertence todo o poder; nunca cansando de buscar a Tua Presença, pois acima de querer que Tu me ouças, eu quero ouvir a Tua voz. No poder do Espírito Santo, para a glória de Deus Pai, em Nome de Jesus, amém.

Erasmo Miranda de Araújo é presbítero e trabalha nos ministérios de Ação Social e Ensino.

Contato:

http://www.portalestilo.com.br/madruga   

[email protected]

veja também