Organizações evangélicas exigem justiça para indígenas

Organizações evangélicas exigem justiça para indígenas

Atualizado: Quarta-feira, 10 Junho de 2009 as 12

Representantes de organizações evangélicas de diversos países do mundo manifestaram dor e condenaram atos de violência ocorrido na Amazônia peruana, que mataram mais de 60 pessoas e deixou centenas de feridos.

Convictos de que a vida é um dom de Deus, as organizações deploraram que o governo peruano ''não tenha tido a capacidade de resolver pela via pacífica e justa a exigência das comunidades nativas com respeito à derrogação de um conjunto de decretos legislativos que afetam seus legítimos direitos''.

Elas pedem o restabelecimento do diálogo, levando em consideração o direito dos povos amazônicos, assegurados pelo Convênio 169 da Organização Internacional do Trabalho e pela Declaração Universal dos Direitos dos Povos Indígenas que o Peru assinou.

Assinam o comunicado, o pastor Nilton Giese, pelo Conselho Latino-Americano de Igrejas; Harold Segura, pela Visão Mundial; Nina Balmaceda, por Advocates International Global Council – Latin America; Dennis Smith, do Centro Evangélico de Estudos Pastorais na América Central - Guatemala; reverendo Hector Laporta, do Fourth Avenue United Methodist Church, Brooklyn, New York; Joel Cortés, pela Comissão Permanente da Igreja Evangélica Espanhola; Ignacio Simal, de Lupa Protestante - Ateneo Teológico, Espanha; e Alfonso Wieland, por Peace and Hope International.

veja também