Padre é condenado a dois anos de prisão na Turquia por fornecer alimento a “terroristas”

O religioso disse que agiu conforme as regras da hospitalidade monástica, além disso, não conhecia o posicionamento político dos visitantes.

fonte: Guiame, com informações de Christian Post

Atualizado: Segunda-feira, 19 Abril de 2021 as 9:35

Sefer Bileçen, conhecido com “padre Aho”. (Foto: CSW)
Sefer Bileçen, conhecido com “padre Aho”. (Foto: CSW)

O padre cristão assírio, Sefer Bileçen, conhecido com “padre Aho”, que trabalha como zelador do Mosteiro Mor Yakub, na província de Mardin, Turquia, foi condenado a dois anos de prisão por supostamente fornecer comida e água a uma organização considerada “terrorista” pelo governo turco.

As pessoas que bateram à porta do mosteiro pedindo ajuda são membros do HPG (Forças de Defesa do Povo - PKK) ou Partido dos Trabalhadores Curdos, um grupo que resiste às forças militares turcas. 

O padre agiu conforme as regras da hospitalidade monástica, mas para o Ministério Público da Turquia, as pessoas são consideradas militantes porque lutam pela independência dos territórios curdos.  No entendimento das autoridades legais, o padre deu apoio a terroristas.

Padre Aho ficou quatro dias detido e acabou sendo liberado provisoriamente por conta da pressão da opinião pública. Agora, porém, foi condenado a 25 meses de prisão por “pertencimento ao PKK” e por “cooperação ao grupo terrorista”, mesmo não sendo curdo. 

Vale destacar que o julgamento foi realizado sem a presença do padre e sem nenhum acesso de qualquer veículo de imprensa. O padre continua se defendendo dizendo que simplesmente praticou um ato de caridade cristã e que não tinha conhecimento da posição política dos visitantes. 

A CSW (Christian Solidarity Worldwide) teme que haja segundas intenções por trás da prisão do padre, já que o governo turco continua a propagar a visão de que “ser turco significa ser muçulmano sunita”.

Um ativista de direitos humanos da comunidade síria na Turquia disse à CSW: "As autoridades turcas têm feito todos os esforços para apagar a herança cristã da Turquia; eles criaram um ambiente hostil, tornando extremamente difícil a sobrevivência cristã na Turquia. Eles estão nos sufocando”, disse. 

veja também