Padre propõe usar ioga contra drogas

Padre propõe usar ioga contra drogas

Atualizado: Sexta-feira, 22 Outubro de 2010 as 8:11

Conhecido mundialmente pelo tratamento de dependentes químicos e portadores de HIV por meio da meditação cristã, o padre indiano Joe Pereira esteve ontem em Bauru em sua 4ª visita ao Brasil. No Santuário Diocesano do Sagrado Coração, Joe ministrou palestra à noite com o tema "Um modelo de ioga combinado com a meditação cristã".

Natural de Goa, Índia, o religioso pratica ioga há 41 anos como uma filosofia de vida. O padre organizou um método para tratamento de dependentes químicos unindo ioga e meditação. Em seu país, trabalhou com madre Tereza de Calcutá e, com o apoio dela, criou a Fundação Kripa, que acabou se tornando a maior Organização Não Governamental (ONG) de saúde da Índia.

Atualmente, a instituição abrange 51 institutos espalhados pela Índia, dedicados a ensinar espiritualidade, ioga e psicologia como forma de superar vícios e tratar a aids. A fundação já atendeu mais de 30 mil aidéticos e dependentes nos últimos 29 anos. De acordo com Joe, 65% dos atendidos são recuperados.

O padre conta que a meditação cristã assimilou elementos da filosofia e religião hindu, que foram incorporados à prática cristã a partir da autorização Concílio Vaticano II. "Com a autorização do Vaticano, passou-se então a utilizar outras abordagens filosóficas e religiosas", disse o padre.

Mas essa assimilação também tem raízes históricas, que revelam estreitos laços entre o hinduísmo e o cristianismo. "Na Índia, sempre houve a convivência entre cristãos e hindus. Os primeiros missionários cristãos da Igreja Católica sempre viveram como monges hindus", explica Joe.

Quando era jovem, na década de 50, Joe passou uma década no seminário e recebeu treinamento, antes de ser ordenado. O padre conta que conheceu Madre Tereza de Calcutá em 1971, numa época em que ele pensava em abandonar a vida religiosa. "E orei junto à madre Tereza. Ela pediu para que não deixasse a Igreja, que Jesus necessitava de mim", recorda o padre.

Passados dez anos, em 1981, Joe passou a ter contato com dependentes químicos nas ruas, época em que foi criada a Fundação Kripa, entidade que procura manter a essência do trabalho realizado por madre Tereza. Atualmente, a entidade reúne 560 curadores, sendo que 2/3 deles são pessoas que eram doentes, hoje consideradas "curadores feridos".

A terapia inclui, além de ioga, técnicas ocidentais psicológicas como Dyads e Gestalt, e segue ainda o modelo de metodologia dos "Doze Passos" dos Alcoólicos Anônimos. Hoje, padre Joe segue para Macatuba, onde ministrará um curso de três dias sobre as práticas de meditação combinadas e receberá pessoas de várias regiões de São Paulo. Os participantes do curso irão multiplicar as práticas em centros de dependência química em cidades da região.

O padre Enedir Gonçalves Moreira, pároco do Santuário Sagrado Coração, que atende a famílias de dependes químicos, reconhece o trabalho de Joe e destaca a importância da disseminação da meditação praticada por ele para combater problemas sociais. "Percebemos o avanço do uso do crack na cidade, e, diante disso, a Igreja precisa de uma ação concreta para resolver esse problema social", menciona Moreira.

"Através da palestra, as famílias podem tomar conhecimento sobre esse trabalho utilizando ioga e, talvez possamos, futuramente, fundar um núcleo em Bauru com a utilização desses métodos de terapia", enfatizou.

"Meditação ajuda a encontrar o espírito dentro do corpo", afirma

Para o padre indiano Joe Pereira, a meditação somada ao trabalho corporal gera uma conexão e a experiência direta com Deus. O método de meditação, para Joe, é uma ferramenta poderosa para encontrar o espírito dentro do corpo. "É uma disciplina muito difícil e rigorosa, mas é exatamente o que Cristo nos pediu para fazer. Ioga é a melhor forma de oração contemplativa", salienta o padre.

"A ioga não deve trabalhar apenas o corpo, a mente, a respiração, mas deve atingir o espírito que habita em nosso anterior. Esse método reorganiza o pensamento e a consciência da células", ressaltou.

Na visão de Joe, os alcoólatras e viciados perdem a consciência da realidade e, consequentemente, se comportam de maneira inadequada. "Nós reeducamos o pensamento. O corpo tem potenciais infinitos de cura e, quando você condiciona o cérebro, você consegue modificar o comportamento. Através dessa reestruturação, os viciados podem ficar menos dependentes de medicamentos", enfatiza o padre. "Resumidamente, Ioga é uma ciência que faz esse trabalho de coordenação entre o corpo, a mente e a alma", finaliza.

Por Mariana Cerigatto

veja também