Pagode do Hefzibá vence preconceito nas igrejas

Pagode do Hefzibá vence preconceito nas igrejas

Atualizado: Terça-feira, 13 Julho de 2010 as 1:11

Com a proposta inicial de evangelizar em casas de recuperação, a banda de pagode Hefzibá tem se voltado ao público cristão das igrejas e assim transformado a discriminação enfrentada pelo estilo.

"Enfrentamos preconceito ao cantar na igreja. Quando chegamos, o pessoal olha meio torto. Quando terminamos o culto, ouvimos o seguinte: - Vocês mudaram o meu conceito sobre o pagode. A música tem que ser muito boa, mas a unção precisa ser maior. Isso tem acontecido conosco", disse o vocalista Joabe Silva, ao GUIA-ME.com.br.

"A igreja tem medo de se escandalizar, de quem vai subir no altar. Têm pessoas que cantam para vender CD, outras para se promover e aquelas que querem adorar. Primeiro queremos agradar o Senhor", garantiu o líder.

Há três anos juntos, os integrantes não têm preferência entre tocar nas casas de recuperação ou nos templos evangélicos. Segundo Joabe, cada um traz o seu benefício.  "Nas casas de recuperação você alcança pessoas e ganha almas, na igreja estão todos com o mesmo espírito de adorar. Os dois são muito gostosos".

Enquanto ganham o gosto do público brasileiro, a banda Hefzibá, cujo nome bíblico registrado no livro de Isaías siginifica "meu prazer está no Senhor", aguarda pela promessa de Deus de tocar em outros países.

"Não montamos um grupo para vender CD, montamos para o evangelismo. Como Deus mesmo fala, os planos Dele não são os nossos planos", declarou o vocalista.

Por Felipe Pinheiro

veja também