A Palavra de Deus é viva. Não precisa ser preservada, mas apresentada

A Palavra de Deus é viva. Não precisa ser preservada, mas apresentada

Atualizado: Quarta-feira, 18 Setembro de 2013 as 10:49

BíbliaO Evangelho sempre é evangelístico, intencionado para ser passado verbalmente, de boca em boca. 
 
No Novo Testamento toda palavra para evangelismo é uma palavra de discurso. O Evangelho foi feito para ser ouvido, apresentado. 
 
A palavra de Deus é viva. Ela flui com vida. Nós temos a Bíblia não porque ela foi preservada como um documento antigo. Não é uma exibição em um museu; ela é viva. Coisas vivas não precisam ser preservadas. 
 
A palavra inglesa “evangelho” vem de uma palavra anglo-saxônica que significa “boas novas.” Nós estamos espalhando “boas novas,” não “boa informação.” 
 
O Evangelho é sempre um anúncio pessoal da boca de um mensageiro que fez uma feliz descoberta. Mais do que isso. As boas novas proclamaram uma mudança nos caminhos do mundo para todos, notícias de uma batalha conquistada e um grande inimigo derrotado. 
 
O primeiro versículo de Marcos é “Princípio do evangelho (boas novas) de Jesus Cristo.” Ele foi antecedido por um anjo no nascimento de Jesus: “Estou lhes trazendo boas novas de grande alegria” (Lucas 2:10). Ele usou a mesma palavra grega para “boas novas”e adicionou outra, a palavra grega chara, “grande alegria.” 
 
Paulo disse que ele era devedor a ambos judeus e gentios – ele sabia que eles tinham o direito de ouvir as boas novas e experimentar a alegria de conhecer a Jesus Cristo. 
 
 
- Reinhard Bonnke
 

veja também