Participantes do S.O.S da Vida falam sobre a satisfação de fazer parte da festa

Participantes do S.O.S da Vida falam sobre a satisfação de fazer parte da festa

Atualizado: Quarta-feira, 17 Dezembro de 2008 as 12

Da Redação

Reunindo cerca de 10 mil jovens no último dia 13 de dezembro, o S.O.S da Vida juntou shows de música e um campeonato de skate no mesmo evento, que alcançou mais de 250 conversões. A festa ocorreu na Arena Anhembi, em São Paulo, reunindo em uma só tarde, rock, reggae, hip hop, axé music, pop, entre outros estilos, além de campeões do skate, como Lucas Xaparral e Jorge Negretti. Aqueles que deram a sua contribuição, participando do evento, registraram a sua aprovação à iniciativa de objetivos evangelísticos, em entrevista ao Portal Guia-me . Confira alguns dos depoimentos de artistas, atletas e pastores que marcaram presença no festival.

Jorge Negretti, Vice-Campeão Mundial de Skate e jurado do torneio amador no S.O.S da Vida

É o primeiro S.O.S da Vida que eu venho. Eu ouvia falar bastante. Ainda estou crescendo na Palavra, mas nunca tinha presenciado algo parecido. Para mim é algo muito diferente. O que eu aprendi aqui sobre a questão de salvar vidas é uma coisa muito bacana. Tem sido a maior satisfação, porque hoje eu estou aqui com a minha família. A minha filha, que mora em Minas Gerais, está aqui comigo. A minha esposa está grávida, não estava se sentindo muito bem e eu falei: 'Vamos para lá, porque lá o local de recuperação'. Nós chegamos aqui e ela está bem.

Lucas Xaparral, Campeão do X-Games Brasil 2008

O objetivo do evento é atrair o maior número de jovens para honrar e ouvir a palavra de Deus. O campeonato de skate trouxe uma outra galera, um público diferente e isso é bem legal.

Luis Fernando, 1º lugar da categoria masculina do torneio amador X-Treme Games

É muita felicidade, porque além de eu curtir o evento, um show ao vivo, é a maior 'vibe' andar de skate, curtindo um show ao vivo. Esse prêmio [1º lugar] vai ajudar para caramba na minha carreira, porque tinham várias pessoas olhando, admirando, curtindo o esporte. Foi legal, curti muito. A 'vibe' dos caras que estão tocando acaba passando para a gente também e a gente começa a andar, forma uma harmonia [...] é difícil explicar, mas é da hora. Todo mundo aqui está na maior felicidade, sem usar drogas, sem beber, sem fumar, sem fazer nada. Bebendo água e comendo lanche para repor as energias.

Bispo José Bruno, vocalista e guitarrista da banda Resgate e integrante da organização do evento

Na igreja, a gente sempre deu espaço total para a galera. Na época dos evangelismos, a gente fazia campeonato de skate dentro da própria sede, com rampas. Isso sempre fez parte, mas a gente nunca tinha juntado as duas coisas: o evento de skate e o S.O.S da Vida. A gente viu: 'Tem muita gente aí que anda de skate. Vamos juntar as duas coisas'. É muito legal. A galera curtindo, cantando, dançando. Você demonstra aquilo que a Igreja é de verdade. A Igreja é o lugar de todos. Esporte e igreja tem tudo a ver, porque você pega uma galera super saudável, que não está envolvida com drogas, não bebe, não fuma e curte um esporte livre, curte música e serve a Jesus. A Igreja é isso. Na verdade, atinge o objetivo dela, que é você dizer que o cara, para servir a Jesus, não tem que ser um alienado. Ele é um cara normal, como qualquer um e que segue a Deus.

Pr. Alexandre, tecladista e vocalista da Banda RM6

A gente tem que usar de todas as estratégias, porque Jesus mesmo usava de todas as estratégias. Quando Ele pregava no monte das bem-aventuranças, falava: 'Olha os lírios do campo, os passarinhos'. Ele usava aquilo que eram os meios que eles tinham. Então, a gente percebe que essa junção, atraindo os jovens pelo esporte e mostrando para eles que um jovem que é de Jesus pode também praticar esportes radicais, curtir um som, um DJ. Eu acabei de ver aí no palco, o som da galera da banda do P.A., que é um axé maravilhoso, arrebentando. A gente sabe que isso tudo é uma grande estratégia, porque temos que falar de Jesus de todas as maneiras. O mais importante é o exemplo e o exemplo da vida é o melhor. A gente vê por aí, hoje, o mundo está cheio de maus exemplos. Hoje o mau exemplo é o 'legal'. Os maus exemplos estão tomando conta e a gente que faz tudo certinho, que faz de acordo com aquilo que está na Palavra de Deus, aí é colocado como o careta, o chato e não tem nada a ver. Ser de Jesus é o maior barato. A melhor coisa que pode acontecer. A gente está aí para mostrar para eles: 'Quem ama, espera', 'sexo, só depois do casamento', 'você pode ser o melhor, pode ser feliz, curtir a vida'. A gente vê a galera aqui de cabelo arrepiado, de calça lá embaixo, outros de tatuagem. Todo mundo aqui é de Jesus. Isso é o que mais importa e eu louvo a Deus, porque a gente pode olhar para essa galera que está aqui, essas bandas e eles são exemplos. Eu não preciso buscar exemplo lá fora. Exemplo para os meus filhos, netos que virão, é a galera que está dentro da igreja.

Piu Rock, vocalista e baixista da Banda Audiophonic

A Palavra do Senhor diz: 'Se o filhos vos libertar, verdadeiramente sereis livres'. Tudo aquilo que o diabo rouba, deturpa - a gente sabe que o diabo não cria nada, mas ele deturpa aquilo que o Senhor nos dá. O diabo é zombador, a função dele é confundir as pessoas. Nós estamos aqui, hoje, nada mais, nada menos, desfrutando do que o Senhor tem para nós. Nós estamos aqui, realmente, fazendo o melhor para o Senhor. No esporte, na música e levando a Palavra para essa galera que não conhece a Jesus. Eu fico feliz por isso. A Palavra de Deus chama a todos. São diferentes estilos, em primeiro lugar e o Senhor quer a todos. Desde o pai de família, os filhos, a esposa, todos os parentes, todas as tribos, skatistas, surfistas, o cara da bike ou o cara que é drogado, que está perdido, sem orientação, ele vem para cá, para encontrar Jesus, encontrar vida. A moçada toda aqui, fazendo um som santo ao Senhor. Isso é maravilhoso.

Márcio Foffu, cantor

É estratégia das mais adequadas. Hoje, o mundo corre numa velocidade muito grande. A moçada precisa mesmo de uma abordagem mais adequada, numa linguagem mais adequada, com a mensagem do evangelho. A essência tem que ser o Senhor Jesus e eventos como esse possibilitam que a mensagem chegue com a cara do jovem. Música dos estilos mais variados, rock, pop, adoração, MPB, axé, black gospel, tem de tudo aqui. Eu tenho certeza que um mecanismo que faz com que o evangelho se expanda cada vez mais. Essa moçada está precisando de Jesus. Eu já tive a idade deles, 15, 16, 18 anos e na minha época eu não tive essa possibilidade. Na minha adolescência ainda estava começando esse mover. Eu fiz parte da história disso tudo, porque toquei no primeiro S.O.S da Vida, tocando trombone com o Katsbarnea. A gente fica feliz de ver uma iniciativa dessa, sendo incremetada agora, com a junção do X-Treme Games e também trazer para perto, também essa moçada que é de Jesus e está fazendo sucesso nesta área. A gente tem campeões aqui. Tem o Xaparral, o Negretti, uma galera incrível nessa área do skate e trazer tudo isso para uma arena única, por um dia inteiro, tudo isso com o objetivo de louvar e adorar o Senhor, acima de tudo levando essa mensagem de salvação para a moçada, isso é incrível.

Nengo Vieira, cantor

Eu creio que com essas estratégias, essa diversidade do esporte e da música, atrativos para as pessoas se juntarem, se entreterem, o evangelho possa fluir de forma espontânea e sobrenatural, não só pela mão do homem, mas por aquilo que somos. Nós temos a nossa essência. Cada um com a sua essência, peculiaridade e, nessa diversidade, Deus vai operando maravilhas sobre nós. Eu creio que muitas vidas que aqui estão já foram escravas de dependências [químicas] e hoje são libertas, sendo hoje, verdadeiros testemunhos do que Deus fez na vida dela e pode fazer na vida daquele que ainda não conhece esse amor maravilhoso de Jesus.

Apóstolo Moisés Vieira, fundador da Vertical Church

A igreja evangélica tem que ser renovada a cada dia, assim como a Palavra. A força do cristianismo, no Brasil, está no jovem. Nós, que já somos um pouco mais de idade, temos que dar esse apoio para eles. O skate e todos os estilos e ritmos de música devem sim estar na igreja, tanto para adoração, quanto para o evangelismo também. A Palavra diz: 'Jovem, vos escolhi porque sois fortes e tendes vencido o maligno'. Qualquer palavra além disso já fugiu do padrão. O jovem é a força da igreja. Enquanto nós - pastores, bispos e apóstolos - não percebermos isso, perderemos a força da igreja. Na igreja Vertical Church - nossa igreja - 90% é jovem e ela tem crescido. Em um ano, chegamos em lugares que muitas igrejas estão lutando para chegar. Chegamos porque o jovem tem total apoio para trabalhar e exercer o chamado de Cristo Jesus. A nossa parte, como pastores é a de apoiar e aconselhar.

David Fantazzinni, cantor

Esportes e música fazem parte da nossa geração. A música e o esporte têm influenciado a nossa geração. A galera que tem de 15, 16 até 30 anos foi muito influenciada pelos esportistas e pelos músicas da nossa época. Muito das nossas idéias, do nosso estilo de vida foi influenciado por essas pessoas. Agora, Deus está resgatando esses ícones. Tem muitos campeões de skateboard e surf se convertendo, muitos esportistas e músicos, também, que são ícones estão se convertendo. Deus está usando essa notoriedade e conhecimento, essa influência que eles têm na nossa geração para levar a Palavra. Isso vai mudar o conceito da nossa geração daqui para frente. Nós éramos uma geração que curtia o esporte, mas também curtia drogas. Agora, nós somos uma geração que curte o esporte, mas por amor a Jesus e, por causa da alegria que a gente tem em Cristo, não precisamos mais usar drogas. Deus está resgatando o esporte para resgatar vidas.

Fotos: Getúlio Camargo

veja também