Passado, passado! O que fizeste comigo?

Passado, passado! O que fizeste comigo?

Atualizado: Quinta-feira, 11 Outubro de 2012 as 2:39

Dois personagens e um capítulo. Histórias separadas por alguns versículos (Mateus 26).

Dois figurões do evangelho: Judas, o Iscariotes, e Simão Pedro.

Uma mesma atitude contra o mestre: a traição (Mateus 26).

Duas formas diferentes de lidar com o passado (Mateus 26).

Um não entende e não conhece o amor incondicional de Cristo. Arrepende-se amargamente, mas não procura o Mestre e se enforca (Mateus 27).

Outro se arrepende de tê-lo negado, chora amargamente, volta para o seu Senhor e retoma o caminho (Mateus 26 / Atos 2).

Duas pessoas, como eu e você, que sofreram com atitudes tomadas no passado (horas antes). Aliás, quando eu comecei a escrever este devocional era presente e no exato momento em que escrevo “esta palavra”, o tema que escrevi já é passado. E o passado não nos perdoa, por isso, não vivamos como Judas Iscariotes, mas sim como  Pedro, pois ele mesmo disse: “No passado vocês já gastaram tempo suficiente fazendo o que agrada aos pagãos. Naquele tempo vocês viviam em libertinagem, na sensualidade, nas bebedeiras, orgias e farras, e na idolatria repugnante”. (I Pedro 4:3)

E respondendo a pergunta do título: “Ele morreu por todos para que aqueles que vivem já não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas”!  (II Coríntios 5:15 e17).
 

Por Anderson Zanella

veja também