Pastor americano faz documentário sobre sua "ressurreição"

Pastor americano faz documentário sobre sua "ressurreição"

Atualizado: Segunda-feira, 10 Janeiro de 2011 as 8:53

Seria de esperar que o título de um novo documentário, “Ted Haggard: Escândalo,” fosse suficiente para fazer o ex-chefe da Associação Nacional de Evangélicos se envergonhar.

Mas depois de vê-lo, quinta-feira, com sua família, Haggard não só descreve o programa como uma “história da ressurreição,” como recomenda que os grupos religiosos se reúnam para assistir ao especial de uma hora, quando for a estréia em 16 de janeiro na rede de cabo TLC.

“Eu acho que é uma maravilhosa história de redenção e ressurreição. Embora seja embaraçoso para mim, ele mostra porque é que somos crentes. Eu acho que é ótimo para as pessoas para assistí-lo,” disse Haggard ao The Christian Post.

“Minha história prova que Jesus é o Senhor, a Palavra de Deus trabalha e o sangue de Jesus obra,” acrescentou. “Eu sou a prova viva de que Jesus está vivo.”

O documentário narra a polêmica em torno da queda de Haggard de graça na sequência de um escândalo de sexo e drogas e sua luta na plantação de sua nova Igreja, Igreja de St. James, no ano passado.

Em 2006, Haggard admitiu ter recebido uma massagem de uma ex-prostituta do sexo masculino, Mike Jones, mas negou ter mantido relações sexuais com ele. Ele, no entanto, confessa a “imoralidade sexual.”

Ele disse que também comprou metanfetamina, mas nunca a usou.

O escândalo levou o líder evangélico a renunciar o cargo de pastor da Igreja New Life de 14 mil membros em Colorado Springs e seu posto como presidente da NAE (National Association of Evangelicals), que atende 45.000 Igrejas por todo o país.

Depois do escândalo, Haggard recebeu aconselhamento intensivo e moveu sua família fora de Colorado Springs. Eles voltaram em 2008 e em junho do ano passado, Haggard anunciou seus planos de começar a St. James, que atualmente atende na lanchonete de uma escola secundária.

“Escândalo” é o segundo documentário que documenta processos de Haggard. Em janeiro de 2009, a HBO lançou “The Trials of Ted Haggard,” que seguiu o pregador durante um tempo difícil em 2007.

No início do ano passado, sua esposa, Gayle, também escreveu um livro, Por que eu fiquei: As Escolhas que Fiz em Meu Momento de Escuridão (Why I stayed: The Choices I Made in My Darkest Hour), de como ela decidiu ficar em seu casamento.

Haggard disse que o novo documentário fez um trabalho “honesto” e não foi “nem um pedaço de sopro, nem machado.” Isso não significa que ele não se sente desconfortável ao ver o documentário ao lado de sua família, alguns dos quais foram entrevistados para o documentário.

“Eu me senti muito triste que passei por esse momento difícil e me senti envergonhado por ter causado dor aos outros,” disse ele.

Haggard disse que o especial mostra também o “drama por trás dos bastidores” dos primórdios da St. James. Muitos questionaram se Haggard ainda estava qualificado para ministrar após os eventos que aconteceram.

“Há aqueles que pensam que eu não deveria ser permitido servir a ninguém e os outros que pensam que eu estava mais qualificado do que nunca para servir as pessoas por causa do processo que passei,” fala Haggard da luta na Igreja. “Eu senti como se eu precisasse lutar para ser capaz de servir as pessoas que estavam passando por dificuldades.”

Embora a forte congregação de 300 que ele conduz agora estar muito longe da mega-igreja que conduziu em seu auge, Haggard disse que é grato por ministrar para “um grupo de crentes sinceros que amam a Deus profundamente” e prezam as bênçãos em sua vida.

“Minha família está bem, meu casamento é forte, temos uma Igreja linda, bonita, e temos comunhão calorosa com os santos e com a comunidade,” disse ele.

“Eu sou muito grato pela fidelidade de Deus comigo e pelo poder da Sua Palavra, que tem funcionado tão profundamente em minha vida.”

“Ted Haggard: Escândalo” está programado para aparecer no TLC em 16 de janeiro às 10 pm ET e 17 de janeiro à meia-noite. O espetáculo está classificado como TV-14.

veja também