Pastor celebra casamento de ex - drogado e morador de rua

Pastor celebra casamento de ex - drogado e morador de rua

Atualizado: Segunda-feira, 24 Janeiro de 2011 as 9:24

A história de superação de Fernando Tavares, 37 anos, que abandonou as ruas, além de problemas com álcool, e conseguiu um emprego, teve mais um capítulo feliz no final da tarde de ontem. Ele vestiu um terno pela primeira vez para o seu casamento com Vera Lúcia de Oliveira, 40 anos. A felicidade do casal emocionou as dezenas de pessoas que lotaram a igreja Restaurar, no Popular Ipiranga. O carinho da comunidade pelos noivos é tanto que a igreja e muitos amigos se reuniram para presentear Fernando e Vera com a decoração do templo e a festa de comemoração realizada depois da cerimônia.

O pastor Delton Tadeu Matheus, que celebrou o casamento, confessou que teria que se controlar para não chorar durante a cerimônia. Ele contou que, apesar de ter a mesma idade de Fernando, o considera um filho. “Ele era muito conhecido por ser um morador de rua da cidade. Nós acreditamos nele e cuidamos dele”, relatou. A comunidade também se juntou para ajudar o casal a mobiliar a casa onde vão morar.

Depois de vencer a rua, o alcoolismo e conseguir um emprego como auxiliar de eletricista, Fernando iria conseguir uma família. Órfão desde os três anos, estava cercado por amigos e os novos familiares na tarde de ontem. “Estou sereno e muito feliz”, afirmou.

Seu sogro, Vital Alves Cordeiro, 70 anos, não se importa com o passado de Fernando. “Ele é uma pessoa vencedora e é merecedor dessa oportunidade. O Fernando é uma pessoa boa e agora é nossa família”, relatou. O cunhado Ricardo também destacou a força de vontade de Fernando. “É uma bênção de Deus tê-lo aqui. Meu pai também teve um tragetória difícil. Agora, Deus vai abençoar o casal. Eles serão muito felizes”, disse. “Todo mundo tem uma história para contar”, ponderou Dinalva, cunhada de Fernando. Muito emocionada, Vera afirmou que, desde que conheceu Fernando, não teve dúvidas. “Com 40 anos, não pensei que fosse me casar. Mas quando conheci o Fernando, senti que Deus havia colocado ele na minha vida”, disse. “Agora, pretendo dar a ele amor e sempre caminhar junto dele”, contou.

A história de Fernando é conhecida em Bauru. Ele foi personagem de duas reportagens publicadas pelo Jornal da Cidade: uma em 2007 e outra em 2009. Os dois textos contavam a vida de Fernando e de outros que, como ele, sobreviviam de esmolas pelas ruas da cidade. Seus pais o abandonaram com uma família de amigos quando ele tinha 3 anos. O mesmo foi feito com seu irmão mais novo.

Sem ter condições financeiras de criar seus próprios filhos, a família que os acolheu os levou para um orfanato. Lá, Tavares nunca imaginava que um dia poderia enfrentar a rua. Frequentou a escola e se graduou em um curso profissionalizante. Porém, aos 18 anos ele sentiu que deveria procurar algum familiar. Pegou carona na estrada, às vezes um ônibus pago com dinheiro de esmola, e foi parar em Minas Gerais, depois Alagoas. Não encontrou ninguém. Continuou a viajar, dessa vez em busca de uma oportunidade para melhorar a vida. Mas, depois de passar pelo Sul do País e Rio de Janeiro, voltou para Bauru quando tinha 20 anos.

Após uma decepção amorosa, voltou às ruas. Ele virou andarilho, alcoólatra, chegou a usar drogas. Pedia esmolas. Morou debaixo do viaduto da avenida Nações Unidas e logo depois foi parar em frente ao Pronto-Socorro Central. Foi quando ele aceitou a mão estendida dos voluntários da igreja Restaurar. Trabalha como auxiliar de eletricista numa empresa da cidade. Nos cultos, conheceu Vera que ontem se tornou sua esposa.

Ele contou à reportagem que estava tranquilo. “Antes, eu não tinha um objetivo. Mas essa comunidade me deu um caminho. Foi uma ajuda que me fez compreender o que é uma vida humana. Eu já tinha perdido a sensibilidade, vivia por instinto, como se fosse um bicho”, relata. Fernando conta que dividiu o chão do Pronto-Socorro Central (PSC) com Ivo Carlos Valle, morador de rua que morreu na semana passada. Por isso, planeja usar a sua experiência para ajudar as pessoas que passam pelos mesmos problemas.  

veja também