Pastor da AD Bras participa do programa do Ratinho

Pastor da AD Bras participa do programa do Ratinho

Atualizado: Sexta-feira, 21 Janeiro de 2011 as 12:35

A Assembleia de Deus do Brás, Ministério Madureira, participou do Programa do Ratinho, exibido na noite de 18/01 pelo SBT, onde o tema discutido era a abertura ou não do exame de DNA de um casal, supostamente irmãos por parte de pai. Com objetivo de ouvir opiniões variadas na sociedade, o programa buscou também o entendimento da igreja sobre a questão. Representando o Pr. Samuel Ferreira, presidente da AD Brás, o pastor Edson Rodrigues expôs a situação à luz da Bíblia. “A atitude mais sensata, mais coerente seria não abrir esse exame, já que a família é bem estruturada, os três filhos são saudáveis e a convivência familiar é harmoniosa. Uma resposta positiva pode mudar todo esse cenário”, disse.

O pastor Edson também entende que o casamento entre o casal, com esse grau de parentesco tão próximo, foi fruto da ignorância de suas origens. “Eles não sabendo, poderão viver uma vida normal. Mas, a partir do momento que souberem da verdade, ou seja, de que realmente são irmãos, passam a estar debaixo de pecado caso continuem convivendo como casados.

É o que a Bíblia diz”, alerta. Além do mais, o pastor disse que tal conhecimento poderia trazer mais malefícios que benefícios a toda família. “Como eles viverão? E seus filhos? E os demais familiares? Com certeza terão que ser acompanhados por psicólogos, fazer terapia... A vida deles, que é harmoniosa e feliz, vai mudar mesmo eles dizendo que não irão se separar seja qual for o resultado”.

Após ouvir diversas opiniões, contra e a favor, Ratinho abriu o exame com o consentimento do casal e o resultado mostrou que eles são de fato filhos do mesmo pai. Visivelmente abalados, ambos choraram bastante. O apresentador disse que era um momento difícil para ele, também: “Essa é uma verdadeira novela da vida real. Mas foi feita a vontade do casal”.

Com o conhecimento do resultado, o pastor Edson confirmou: “À luz da Bíblia não tem como ficar juntos. Deveria ter ficado do jeito que estava, sem conhecer o resultado, e também deveria ter pensado nas pessoas envolvidas. A dúvida seria melhor e não os colocaria ciente de que são irmãos e vivem fora dos padrões de Deus”, finaliza.

veja também