Pastor de megaigreja nos EUA se afasta do púlpito devido ao "pecado do orgulho"

Após mais de 20 anos na liderança, o pastor Todd Wagner anunciou que está se afastando temporariamente do púlpito devido ao orgulho.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 8 Setembro de 2020 as 9:23

O pastor Todd Wagner confessou o pecado do orgulho diante da igreja. (Foto: Watermark Community Church)
O pastor Todd Wagner confessou o pecado do orgulho diante da igreja. (Foto: Watermark Community Church)

Depois de mais de 20 anos na liderança da Watermark Community Church, em Dallas, no Texas (EUA), o pastor Todd Wagner anunciou no domingo (6) que está se afastando temporariamente do púlpito devido ao pecado do orgulho.

“Pela primeira vez em 20 anos, estou me afastando do que costumo fazer para poder fazer o trabalho duro. Então não fique procurando algum escândalo. Nem pense que isso é escandaloso. Escandaloso é quando um cristão brinca, ignora ou dá boas-vindas ao pecado, respeitável ou não”, disse Wagner à sua megaigreja, que recebe cerca de 11.000 fiéis semanalmente em suas quatro filiais.

“Agradeço a Deus por ter amigos para me ajudar. O orgulho mata. E eu digo o que ouvi meus amigos me descreverem e me contarem, orgulho. Esse é o pecado”, reconheceu o pastor. “É muito interessante, porque eu não penso em mim ou me iludo achando que não sou uma pessoa orgulhosa, só porque eu nunca me olho no espelho e me aplaudo”.

Wagner explicou que ele e os líderes da igreja têm conversado sobre seu pecado desde junho e, juntos, passaram por um período de arrependimento. Agora o pastor acredita que chegou o momento de pedir perdão aos membros da igreja.

“Preciso do tempo de vocês para pedir seu perdão por várias coisas. Primeiro, por não ver isso antes e não estar atento a mim mesmo, especialmente durante esta fase. Mas por um tempo, talvez até anos, eu soube que precisava apenas desacelerar, e fui encorajado a desacelerar. Eu até tive oportunidades de desacelerar, mas, nos últimos meses, tudo que fiz foi acelerar”, disse Wagner.

“Esta não é uma licença remunerada para que eu possa ler, escrever e relaxar como recompensa por 20 anos de serviço. Isso é um descanso temporário da função de ensinar e liderar e qualquer outra coisa que esteja no caminho de permitir que o Senhor me fortaleça, me restaure, e me leve a um arrependimento cada vez maior”.

Arrependimento e perdão

O pastor explicou que chegou a um ponto no ministério em que simplesmente não ouvia o suficiente a sua equipe de liderança e falhou em liderar “com a graça usual em meus relacionamentos com meus amigos mais próximos”.

“Tenho sido intolerante e irritado, às vezes reprovo todo mundo, sou impaciente, o suficiente para que as pessoas percebessem a diferença. E pior, não as ouvi quando me perguntavam e diziam coisas como ‘você está bem?’”, explicou.

“Isso é o suficiente para eu dizer ‘chega’, para afiar mais o machado e cortar menos. Não me pediram para renunciar. Não estou precisando, pela graça de Deus, renunciar, mas me perguntaram e concordo que preciso recuar, me afastar e estou feliz. Todos concordamos que isso é o melhor para mim e para vocês, e eu acho que para nós”, disse ele.

Wagner, que é marido, pai e avô, destacou que, apesar da luta contra o orgulho, seu relacionamento com a família continua sólido. Ele também explicou que a liderança da igreja irá ajudá-lo em sua jornada de recuperação e arrependimento, para mantê-lo com os pés no chão.

Beau Fournet, um ancião da igreja, disse: “Só quero deixar claro que compartilhamos a unidade, porque sempre teremos unidade se estivermos aos pés da cruz. Nós nos arrependemos de cada pecado que foi apresentado a nós e isso é o que Todd fez, e é isso que fazemos uns com os outros sempre que nos encontramos”.

veja também